Mês: dezembro 2014

Sobre casacos de inverno

Recentemente escrevi dois posts sobre apetrechos de inverno – roupas e acessórios. Mas me parece que faltou falar algumas coisas sobre como usar casacos de inverno que talvez convenha mencionar.

Uma coisa muito interessante que eu aprendi na Alemanha é como guardar seu gorro, luvas e cachecóis ao pendurar o seu casaco em algum lugar. Os alemães guardam seus acessórios nas mangas dos casacões. Como esses casacos são bem fofões, você coloca o cachecol, luvas e gorro nas mangas e eles não caem. É muito prático quando você precisa deixar seu casaco num guarda-roupas digamos em um museu ou teatro. Lá você deixa seu casaco com algum funcionário que o pendurará em um cabide, e portanto guardar os acessórios nas mangas é bem conveniente.

Ok, tentei tirar uma foto de um cachecol dentro de um casaco, mas ficou meio esquisito. Enfim, deu pra sacar, né?

Ok, tentei tirar uma foto de um cachecol dentro de um casaco, mas ficou meio esquisito. Enfim, deu pra sacar, né?

Aliás uma outra coisa sobre casacos de inverno, é que em toooodos os lugares tem cabides, mancebos, guarda-roupas ou guarda-volumes para você deixar o seu casaco.

Em restaurantes, normalmente perto da porta tem alguns cabides ou mancebos onde você pode deixar tranquilamente o seu casaco. Mas também é comum colocar o casaco na cadeira. Todas as salas de aula ou auditórios tem também cabides ao lado da porta. Em teatros, óperas, concertos, tem sempre um guarda-roupas (com funcionários) para deixar o casaco. Em museus, é normal ter tanto guarda-roupa quanto guarda-volume (armarinhos) para deixar casacos e bolsas. Nas casas alemãs, as portas de entrada abrem sempre para um hall onde tem cabides ou armários para casacos, sapatos e acessórios de inverno. Ainda estou por encontrar uma casa alemã cuja porta de entrada abra direto pra sala, acho que realmente não tem porque de fato por aqui seria bem inconveniente.

IMG_9533 IMG_9534

E sendo assim, é quase obrigatório deixar seu casaco na entrada, mesmo que não esteja tão frio e você só esteja usando uma jaqueta fininha. Mas o fato é que casacos e jaquetas ninguém usa dentro de casa por aqui. O único lugar interno em que as pessoas não tiram o casaco são lojas e shoppings. Nesses lugares realmente não tem onde deixar o casaco, porque seria uma enorme confusão, claro. Em qualquer outro lugar fechado todo mundo sempre tira o casaco ao chegar, e os alemães vão achar muuuuuuuuuuito muuuuuuito esquisito se você continuar usando o seu. E vão comentar, meio rindo, meio achando ridículo “você não vai tirar seu casaco?”. Você será uma pessoa um tanto exótica por aqui se esquecer de tirar seu casaco na entrada.

E outra prática que pode imediatamente logo de cara e bem de longe te identificar como estrangeiro de país onde não faz frio é andar pela rua com o casaco aberto. Claro, se nem tiver frio e você estiver só com uma jaquetinha fininha tudo bem. Mas no inverno, ou quando estiver frio, se você andar com o casaco aberto todo mundo vai achar beeeem estranho. E pode ter certeza que você jamais verá um alemão andando no frio sem fechar o zíper do casaco. E faz todo sentido – uma das características mais importantes dos casacos de inverno é que eles são resistentes ao vento. Quer dizer que mesmo que estiver o maior vento, não entra ar frio dentro do seu casaco. E lógico que isso não funciona se você não fechar o zíper!

Acho que isso é tudo o que havia a ser dito sobre casacos de inverno. No mais, depois que você se acostuma com esses detalhes, fica muito fácil reconhecer turistas no inverno pela maneira com que eles se vestem! Mas, morando aqui, logo você aprende as manhas de Alemanha! (cofcofcofonomedesseblogémuitosagazeuseicofcofcof)


(Publicado em 27 de Dezembro de 2014)

Com o que presentear alemães

Hoje, véspera de Natal, fiquei aqui pensando sobre o que poderia escrever. Ano passado já fiz vários longos e detalhados posts sobre os costumes natalinos alemães. Falei sobre as decorações de Natal, sobre as comidas típicas da época de Natal, sobre outros detalhes referentes à celebração do Natal, sobre os mercados de Natal e sobre os adventos e calendários de adventos. Basicamente não sobrou nada para escrever esse ano. Mas aí, inspirada pelos termos de busca que levaram, esse mês, ao meu blog, pensei em escrever um post sobre presentes para alemães. Parece que ultimamente muita gente tem entrado aqui ao procurar no google coisas como “o que dar de presente para alemães” e termos similares.

Então pronto, aí vai. Se você tiver um amigo alemão no Brasil, ou estiver na Alemanha e for passar o Natal com a família de algum amigo, quais presentes são acertos seguros na Alemanha?

Claro que isso é difícil de dizer e, como qualquer outro grupo, os alemães têm gostos variados e individuais. Mas em algumas coisas, os alemães são quase unânimes. Por exemplo, viajar. Todo o alemão que eu conheço bem, mal ou só de longe ama viajar. E não é assim, viajar pra praia. Eles viajam pra tuuuudo quanto é lugar. Basicamente não existem alemães que nunca saíram da Europa. Perguntando para um alemão escolhido aleatoriamente na rua, ele provavelmente já terá viajado pra Tailândia, ou para Singapura, ou de repente para a Uganda. E em qualquer lugar do mundo em que você esteja, por mais remoto que seja, você pode ter certeza que encontrará um grupo de alemães de variadas idades com seus mochilões, calças que viram shorts e casacos de chuva. Então qualquer presente relacionado a viagens é um acerto quase 100% seguro (mas não dê calças que viram shorts ou casacos de chuva, isso todos eles já têm). Guias de viagem para algum lugar que você acha que o seu amigo queira ir, ou bobeiras úteis em viagens, coisas assim. Em várias livrarias vende um mapa múndi que você raspa os países que já visitou (que nem raspadinha) que eu duvido que algum alemão não fosse gostar de ganhar.

Chama Scratch map

Outra coisa que 99,99% dos alemães gostam são esportes ao ar livre do tipo caminhada, trilha, acampar, tal. Coisas relacionadas a esse tipo de atividade também são certos acertos. Nas livrarias daqui normalmente as seções de livros de viagem têm uma parte só de guias de trilhas e percursos de caminhadas ou viagens de bicicleta, etc. Duvido que seu alemão não goste de um presente desses, independente da idade.

Um presente genérico que é sempre uma opção válida são vinhos. Os alemães apreciam bons vinhos ou outras bebidas alcoólicas especiais. Trazer uma cachaça do Brasil, por exemplo, pode ser uma boa idéia.

Talvez coisas relacionadas ao Natal sejam uma opção boa como presente de Natal, digamos enfeites, velas de advento ou calendários de advento (mas esses dois últimos têm que ser dados no começo de Dezembro, não no Natal!). Mas provavelmente qualquer coisa que você encontre à venda em um mercado de Natal alemão pode dar um bom presente.

IMG_3626

Flores são uma alternativa típica de presente, mas não presente de Natal. Seria bem estranho ganhar flores de Natal. Mas, de aniversário com um vinho, por exemplo, ou coisa assim, pode ser legal.

Alguma coisa típica do Brasil é certamente uma boa opção também. Talvez um livro, uma comida típica, uma bebida típica, ou qualquer coisa assim, os alemães adoram alguma coisinha “exótica”…

Se você estiver no Brasil e quiser presentear um alemão visitante, talvez uma boa opção seja algo que ele lembre ou sinta falta de seu país. A primeira coisa que os alemães costumam mencionar se você perguntar do que eles mais sentem falta da Alemanha, é pão. Aqui tem mil tipos de pães diferentes, a maioria pretos, que realmente não são comuns no Brasil. Esse certamente seria um presente que eles apreciariam receber se estiverem passando um tempo fora da Alemanha, e você pode procurar alguma receita de algum pão diferentão e fazer você mesmo!

Bom, é isso que eu consigo pensar para presentear um alemão regular. O post certamente veio meio tarde para ajudar as pessoas que andaram visitando o blog a procura de dicas durante Dezembro, mas bom, taí pro ano que vem! Feliz Natal! =)


(Publicado em 24 de Dezembro de 2014)

Casa de bolo de gengibre

Como já mencionei no post sobre Natal na Alemanha que escrevi no ano passado, uma coisa comum da época de Natal, por aqui, é fazer/comer bolo de gengibre. Em alemão chama Lebkuchen ou Pfefferkuchen.

Nos típicos Mercados de Natal (encontráveis no centro de qualquer cidade alemã durante o mês de Dezembro), sempre tem banquinhas vendendo uns bolos de gengibre em forma de coração, por exemplo.

IMG_3619

Bolo de gengibre é tipo um biscoitão com um gosto bem particular (de gengribre, pasmem), bem mais denso que um bolo normal mas bem mais macio que um biscoito. A consistência é perfeita para que ele seja usado para montar maravilhosas casas de bolo de gengibre. Sabe a casa da bruxa do conto de João e Maria? Então, era de bolo de gengibre. Mas como bolo de gengibre não é uma coisa muito conhecida no Brasil, as traduções acabaram mudando a casa para uma casa de biscoitos/doces (eu sempre imaginava paredes de bolachas com recheio empilhadas). E esse conto, assim como outros contos de fada famosos escritos pelos irmão Grimm, são extremamente antigos. Logo, essa tradição de montar casas de bolo de gengibre na Alemanha já vem de longa data.

IMG_3592

Então aqui vai um passo a passo de como montar sua própria casa de bolo de gengibre!

Começando, claro, pela receita para fazer a massa.

Ingredientes:

400g de mel

150g de manteiga ou margarina

200g de açúcar

2 ovos

1 pacote de tempero para bolo de gengibre (é uma coisa bem específica, não sei se dá pra achar no Brasil. Na Alemanha chama-se Lebkuchengewürz ou Pfefferkuchengewürz. É na verdade o ingrediente mais importante pq é o que dá o gosto específico do bolo de gengibre)

IMG_9312

1 pitada de sal

800g de farinha

4 colheres de chá de fermento (sem excesso, quer dizer, como na foto abaixo à esquerda, e não como na foto abaixo à direita)

IMG_9351

20g de chocolate em pó

100g de açúcar de confeiteiro

IMG_9344

Preparação:

Misture o mel, a margarina ou manteiga e o açúcar (normal) numa panela, mexendo em fogo médio até dissolver o açúcar.

Coloque tudo numa tigela e adicione os ovos, o sal e o tempero para bolo de gengibre. Espere esfriar.

Misture a farinha com o fermento e o chocolate em pó separadamente, e vá adicionando à mistura aos poucos, batendo. Talvez depois de adicionar toda a farinha fique difícil bater na batedeira (a mistura fica muito densa), continue com as mãos. Usamos a receita descrita acima mas a massa ficou muito grudenta. Fomos adicionando mais farinha até que a massa ficasse seca o suficiente para moldar. Adicionamos também um tanto de farinha de amêndoa, e a massa ficou perfeita!

Aqui você vai precisar planejar como quer que seja a sua casa. Não se entusiasme tentando planejar um enorme castelo – montar as peças no final é bem mais difícil que parece, e depois de assadas, as partes ficam com tamanhos bem diversos dos planejados… quanto mais complicada for a sua casa, mais chances de dar tudo errado na hora de montar. Comece com um modelo bem simples: 4 lados, dois retangulares e dois com um adicional triangular para encaixar o telhado, 2 peças para o telhado e uma base.

Você pode escolher se quer cortar as portas e janelas ou só desenhá-las depois. Se resolver cortá-las (fica mais legal, claro), lembre-se que ao assar os vãos vão ficar menores do que o planejado.

Para moldar a massa com os tamanhos planejados, amasse a massa com um rolo. Tente deixá-la o mais fina possível, para evitar que cresça demais ao assar (o que vai dificultar a montagem depois). Corte as peças nos tamanhos planejados e coloque para assar por uns 10 minutos (Mas fique de olho na massa – quando estiver dourada, está pronta. Quanto mais fina for, mais rápido vai assar). Não esqueça de fazer também uma base!

IMG_9325 IMG_9317IMG_9322  IMG_9327

Para colar as peças umas nas outras, misture o açúcar para bolo com um pouco de água (muito açucar para pouca água, vai adicionando a água de pouquinho em pouquinho pra ficar bom) e limão até ficar uma massa grudenta. Use como cola. Com o mesmo açúcar você pode desenhar decorações na sua casa, basta enrolar um papel em forma de funil para desenhar com o açúcar.

IMG_9337 IMG_9343IMG_9352

Para a decoração da casa, você pode usar quaisquer docinhos de decoração de bolo: granulado, avelã, balas de goma, M&Ms, granulado colorido, basicamente tudo o que você colocaria sobre o seu sorvete numa sorveteria por quilo.

IMG_9329

Pronto! A casa está pronta! Não enrole muito para comer, quanto mais tempo você espera, mais dura ficará a massa do bolo de gengibre.

IMG_9366

IMG_9382 IMG_9374 IMG_9381 IMG_9368 IMG_3597 IMG_3595

 

Fazer e montar uma casa de bolo de gengibre é uma ótima atividade para um domingo de advento!


(Publicado em 14 de Dezembro de 2014)

 

Apetrechos de inverno 2: acessórios

Essa é a segunda parte do post sobre vestimentas de inverno. A primeira parte discute roupas de inverno (casacos, calças, botas) e pode ser lida aqui.

Agora falando um pouco sobre os acessórios de inverno:

  • Luvas

Tem vários tipos diferentes de luvas, vou abordar uma por uma:

Luvas simples de lã – Basicamente o único tipo que eu vejo à venda no Brasil são as luvas simples, de uma só camada de tecido, bem finas. Essas, aqui, não sevem para quase nada. Eu as considero como luvas de outono. Pra quando tá um outubro meio friozinho. No inverno mesmo, elas ficam esquecidas no fundo do armário.

IMG_9272 IMG_9273

Luvas de couro – Bem comuns por aqui são as luvas de couro, especialmente por serem mais elegantes e bonitonas. E são mais quentes que as luvas simples de lã também, já que não têm furinhos. Mas mesmo essas não ajudam muito no invernão, na minha opinião. Mas muitas pessoas por aqui usam só essas de couro, embora não sejam tão quentes quanto outras, porque as outras são também muito grossas e um tanto desconfortáveis se você quiser usar a mão pra qualquer coisa. Mas com -10˚C para baixo, com as de couro seus dedos vão congelar.

IMG_9293

Luvas de lã com duas camadas – Essas eu diria que são a melhor opção para o dia a dia nos meses mais frios de inverno. A camada de fora, de lã, é similar às luvas simples, mas essas têm também uma camada diferente por dentro, de algodão. Dá uma boa diferença para enfrentar o frio, mas, claro, elas são tão grossonas que fica difícil fazer qualquer coisa com a mão sem tirar a luva.

IMG_9276 IMG_9279

Luvas com dedos juntos – Eu tenho uma dessas que é de lã com duas camadas, só que com os dedos juntos. Assim:

IMG_9281 IMG_9283

Acho uma delícia, o melhor par de luvas que já tive. Claro que não ter os dedos separados dificulta ainda mais usar a mão pra qualquer coisa sem tirar a luva. Mas sinceramente eu achei que fosse ser um problema maior do que é. No final acabou que essas são as luvas mais gostosas e confortáveis ever. Recomendo.

Luvas com dedos juntos que “abre” – Essa daqui é uma versão avançada da luva com dedos juntos. A parte dos dedos abre revelando ou uma luvinha mais fina com dedos ou uma luvinha sem dedos, para vc poder manusear alguma coisa sem tirar a luva.

10841123_10205608864280149_500451850_n 10799296_10205608864600157_1508633896_n

Luvas sem dedos – obviamente não servem para sair na rua nos dias realmente frios. Mas no outono ou no comecinho do inverno, são bem práticas para esquentar a mão E usar os dedos ao mesmo tempo. E o melhor mesmo é usá-las quando está frio em algum lugar fechado. Usar o computador quando está friozinho dentro de casa, por exemplo. Claro que aqui vc esquenta o interior das casas, mas em casa, por exemplo, a gente costuma evitar o máximo possível ligar o aquecimento pra economizar, já que a conta sai cara. E em alguns ambientes maiores – salas de aula grandes, ou se você for numa igreja – é difícil aquecer bem o ambiente todo, então na dúvida ter uma luvinha dessas à mão vem a calhar!

IMG_9271

Luvas de esportes de inverno – A opção mais quente mesmo de luvas são as que você usaria para praticar esportes de inverno, como esqui. Elas são totalmente impermeáveis, então dá pra usar tranquilo na neve sem congelar os dedos depois de alguns minutos. São ideais também para brincar na neve – montar um boneco de neve, escorregar de trenó, etc. Crianças sempre têm um par desses em casa para essas situações.

IMG_9304 IMG_9305

  • Gorros

Gorros também podem ser encontrados em diversas variedades.

Simples de lã – como as luvas, uma única camada de lã. Esses também no inverno ficam guardados na gaveta. Mas são úteis para quando está por volta de 5˚C ou 10˚C, quando os gorros mais quentes incomodam.

IMG_9284

Grossos com camada extra interna principalmente na parte das orelhas – Esses aqui são ideais para o dia a dia do inverno. A camada extra (às vezes é o gorro inteiro que tem uma camada interna extra, as vezes é só uma faixa na borda, para cobrir a orelha melhor) é necessário pra não congelar a orelha. Na verdade, o essencial do gorro é esquentar as orelhas, mesmo.

IMG_9286 IMG_9287 IMG_9289

Grossos e mais compridos na parte da orelha – são gorros com um formato de chapéu do Chaves, por exemplo. Tem uns que são bem gostosinhos, mas atenção. Eles parecem ser bem melhores para cobrir a orelha, mas, a não ser que tenha algo que puxe a parte das orelhas por baixo do queixo (veja exemplos), eles nem servem tão bem assim para esquentar a orelha, porque o vento entra por baixo.

IMG_9290

Esse aqui, embora bem gostosinho por dentro, não fecha a parte das orelhas, entra um vento gelado por baixo.

IMG_9291

Esse fecha por baixo do queixo, então não entra, o vento. Mas é meio feioso, só pra quando está bem frio mesmo.

 

Faixa – Uma versão simples de um gorro são as faixas. Como os gorros, elas podem ser com uma ou duas camadas (duas é sempre mais quentinho), e cobrem o essencial: as orelhas. Uma boa alternativa pra quem não gosta de gorros

IMG_9288

“Fones de ouvido” – para quem não é fã de gorro mas ainda sente frio na orelha, tem também a opção “fone de ouvido”, que é basicamente uma tiara que esquenta a orelha. Tem vários tipos diferentes, também.

  • Cachecóis

Cachecol não tem muito segredo, não. Qualquer cachecol já ajuda. Mas no invernão mesmo, o ideal é ter um cachecol bem comprido e bem largo. Que é pra dar pra enrolar umas três vezes em volta do pescoço, queixo, nariz, tudo. Se for grosso, de lã, mas sem buracos grandes por onde possa entrar o vento, melhor.

IMG_9297 IMG_9300

  • Meias

Finalmente, tem também meias. Meias não precisam de nada de especial se você tiver uma boa bota de inverno. Mas é legal também ter uns pares de meias de lã, bem gostosinhas. Para saber sobre meias-calças, veja o primeiro post sobre apetrechos de inverno!

Acho que falei sobre tudo o que sei para resistir aos invernos alemães. Uma dica ainda para esquentar as mãos são os esquentadores de mão! De resto, boa sorte com a neve!


(Publicado em 7 de Dezembro de 2014)

 

Apetrechos de inverno 1: roupas

Esse post já estou planejando desde o inverno passado, mas como no inverno passado quase não nevou e fez pouco frio, acabei não me animando pra escrever. Mas agora vai. Vou separar em duas partes já que é bastante coisa pra abordar. A primeira parte é sobre roupas de inverno. A segunda é sobre acessórios de inverno.

Uma coisa que brasileiros ou outros estrangeiros de países menos frios sempre se perguntam ao chegar por aqui é: do que eu preciso para sobreviver ao inverno?

Os acessórios e roupas de inverno por aqui são variados, numerosos, e bem bem diferentes do que no Brasil. Então a primeira dica (e isso você provavelmente já sabia antes) é: deixe para comprar vestimenta de inverno quando chegar, não traga do Brasil. Qualquer coisa que você pode trazer do Brasil, por mais quentinho que te pareça, provavelmente você vai usar só no outono, daqui, ou no comecinho do inverno. Quando chegarem os -10˚C, -20˚C, esquece.

Aos detalhes:

  • Casaco

Começando com o mais importante. Sempre que eu conheço alguém que acabou de chegar na Alemanha, a primeira pergunta que a pessoa me faz é “onde que eu compro um casaco de inverno?”.

O importante dessa pergunta não é tanto onde, mas quando. Se você for procurar um casaco de inverno em Julho, não vai achar nada. Já em Dezembro, toda e qualquer loja de roupas vai ter uma seção inteira dedicada aos mais diversos casacos de inverno.

As opções mais baratas para casacos de inverno ficam na faixa dos 80 a 100 euros. Isso é um preço bem normal para um casaco em lojas maiores como C&A e H&M. A qualidade não é assim ‘nooossa, que beleza de casaco’, mas ele vai resistir. Só que talvez depois de uns dois anos o zíper quebre, ou alguma coisinha descosture, um botão quebre, coisas assim. Mas também, sei lá se casacos mais caros também não vão ter esses problemas – afinal é uma peça de roupa que você usa realmente todos os dias por uns 3 meses…

Mas o que é importante de prestar atenção ao comprar um casaco para o inverno?

O essencial é que ele seja totalmente impermeável: à prova de água e à prova de vento. Não sei se dá pra ser à prova d’água e não ser à prova de vento, mas costuma dizer na etiqueta se é à prova dos dois. À prova de vento pode parecer estranho, mas juro, roupas podem realmente ser à prova de vento. Quer dizer que, fechadinha, pode estar um ventão gelado que vc mesmo assim não sente frio debaixo do casaco.

Grande parte dos casacos de inverno são revestidos com pena de ganso, e esses costumam ser os mais quentes. Mas no geral, o importante mesmo é resistir à água e ao vento, se você ficar seco e não sentir o vento debaixo do casaco já faz toda a diferença.

Outra coisa a ser considerada é a presença ou não de capuz. Com capuz é melhor para quando chove, e mesmo para quando está ventando muito. Mas eu comprei um recentemente sem capuz e também não é a coisa mais essencial de todas, às vezes vale mais a pena escolher um modelo que você goste sem capuz do que um que você não goste com capuz (e achar casaco de inverno bonito é um grande desafio). Mesmo sem capuz, praticamente qualquer casaco decente de inverno fecha pelo menos até o queixo. Assim:

IMG_9266

(bom, ok, no caso fecha até o nariz)

Quando tá bem frio, ventando, nevando, tudo, não vai ser mal ter um que deixe basicamente só seu olho de fora:

IMG_9221

E finalmente, você deve considerar também se prefere um comprido ou curto. Comprido é bom porque cobre as coxas, que nossa, como ficam geladas. Mas eu uso um curto mesmo, e tudo bem, não acho que seja o fator mais essencial do casaco.

(e os mais compridos eu acho bem mais feios… mas enfim).

  • Botas

Muito necessário no inverno são botas decentes. Duas são as características importantes de uma boa bota de inverno. Em primeiro lugar, é essencial que ela seja à prova d’água. Acho que no Brasil a gente não se preocupa muito com a resistência à água dos calçados (embora em dias de chuvas fortes de verão bem que fizesse sentido). Mas se você vai andar na neve, acredite, não tem como ir com um sapato que não impermeável. Seu pé vai congelar.

O segundo ponto é o atrito da bota. A sola tem que ser bem “irregular”, para aumentar o atrito e evitar que você escorregue no gelo:

IMG_9227

  • Calça e meia calça

A questão com calças é mais simples. Tem calça impermeável, do mesmo material dos casacos de inverno, até revestida com pena de ganso e tudo mais. Mas elas são mais para esportes de inverno mesmo, se você for esquiar por exemplo. Só para atividades normais do dia a dia, ninguém usa calças especiais.

O que significa que você vai ficar com frio na perna, é. Mas claro, meias-calças por baixo são bem bem bem necessárias. Tem várias meias-calças bem grossas, aqui, e tem um tipo que chama “thermo”, que é a ideal para o inverno. Elas são de um material diferente na parte interna que na parte externa. Não me pergunte detalhes de tecidos que eu não entendo, mas o fato é que essas são mais quentinhas e confortáveis. É totalmente normal para homens, também, usarem essas meias-calças por baixo das calças no inverno.

No post seguinte, falo sobre as diferentes opções para os acessórios de inverno (luvas, cachecóis, gorros…).

Caso não tenha lido ainda, aproveite o inverno e a proximidade com o Natal para ler os posts sobre Dia de São Nicolaus, Mercados de Natal e Adventos e Calendários!


(Publicado em 6 de Dezembro de 2014)