Day: outubro 18, 2015

Sobre nomes não-alemães na Alemanha

Esse post é mais um desabafo que efetivamente informação útil, mas serve.

Uma “dificuldade” inesperada que você pode talvez encontrar aqui na Alemanha é o seu nome. Tem vários nomes em alemão que são iguais ou pelo menos parecidos com nomes em português. Por exemplo Julia, Lisa, Stefanie, Carolina, Mathias, Lucas, Laura, Daniel, entre outros diversos, às vezes idênticos, às vezes com pequenas diferenças na grafia.

Vários outros nomes não são usados em alemão mas não soam estranho para os alemães, pq são nomes bem comuns em Italiano, Espanhol, ou outras línguas da europa ocidental (inclusive português).

Mas alguns nomes mais “exclusivos” do Brasil podem gerar grandes confusões para os alemães.

Mesmo nomes extremamente bonitos como, não sei, por exemplo, digamos, Laís. Laís não é o nome mais indicado para se dar para uma criança caso você planeje que a mesma viva um dia na Alemanha, vamos combinar (tudo bem, mãe, eu sei que não estava nos seus planos!). Vou escrever sobre as dificuldades do nome Laís – porque eu tenho uma certa experiência com esse nome – mas elas valem para qualquer nome um pouco menos mainstream.

A primeira dificuldade é que, ao ler seu nome, os alemães não vão ter muita idéia de como pronunciá-lo. E aí na dúvida eles preferem simplesmente não dizer seu nome nunca, pra não correr o risco de dizer errado. Se você por acaso se apresentar dizendo o seu nome – por mais devagar e claro que você o diga – eles não vão entender e também não vão fazer muito esforço pra entender e lembrar como se pronuncia. E aí quando eles precisarem falar seu nome, vai ser totalmente awkward.

Por exemplo: eu tava fazendo treino de patins na universidade há quase um ano. Era um grupo pequeno com umas 10 pessoas, só. Os dois treinadores sabiam o nome de todo mundo, e em várias situações chamavam ou se referiam às pessoas pelo nome… menos eu, óbvio. Ao invés de simplesmente perguntar, “ei, como fala seu nome, mesmo?”, eles preferiam disfarçar e evitar precisar falar meu nome, o que me fazia sentir totalmente excluída, já que eles tratavam todos os outros por nome. E consequentemente eles nunca me chamavam pra escolher time, ou pra escolher um jogo, ou pra começar um jogo, ou o que for.

Outra situação que me deixou bem ofendida foi quando um tio do meu namorado – alguém que já me conhece há uns 5 anos – precisou se referir a mim e me chamou de “coisa”, tipo “ah, vou dar carona pro Niklas e pra coisa”.  Sabe quando vc fala ‘coisinha’ quando vc não lembra o nome de alguém? Tipo isso. Guardarei rancor dessa situação pro resto da vida. Pô, alguém que eu vejo com relativa freqüência há alguns anos e a pessoa ainda não se deu o menor trabalho de tentar aprender um nome de quatro letras e duas sílabas? Obrigada.

Pela minha experiência, se algum alemão fez esforço para guardar seu nome (sendo ele um pouco diferente) e ainda acertar a pronúncia pelo menos um pouquinho, tenha esse alemão em alta estima: ele ou ela realmente se importa com você.

Uma dificuldade adicional se seu nome não termina com A nem O (que mesmo não sendo as terminações de substantivos femininos e masculinos em alemão, são interpretadas assim com facilidade) para os alemães é saber se você é homem ou mulher. Claro que se a pessoa te conhece pessoalmente não vai ser o caso, mas digamos se você manda um email pra alguém que não conhece. Em situações formais os alemães SEMPRE se dirigem a você por “Sra. Fulana” ou “Sr. Fulano” sendo Fulano seu sobrenome, claro. Como fazer se seu sobrenome não diz nada pra eles? Normalmente eu recebo cartas ou emails endereçados ao Senhor Laís. Isso me deixa mais com raiva que qualquer coisa: putz, é só digitar Laís no Google Images pra descobrir que é um nome feminino, sabe. Que dificuldade… E a impressão que dá é que eles na dúvida escolhem te tratar por “Herr” achando que um homem se ofenderia mais ao ser tratado por “senhora” que uma mulher por “senhor”. Isso que me deixa com mais raiva.

A única boa noção que os alemães têm em relação a nomes que lhe soam estranhos é de não fazer careta quando ouvem seu nome pela primeira vez. Se eles acharem seu nome estranho, feio, ridículo ou engraçado, certamente não deixam transparecer no rosto essa opinião. Só uma vez me aconteceu de dizer meu nome pra alguém e a pessoa fazer uma cara de “what?”, e é alguém que eu nem tenho certeza se era mesmo alemão, então de repente nem era e os alemães todos têm essa boa noção.

Puxa, esse post ficou amargo! Mas para compensar, podemos também mencionar alguns nomes alemães bem duvidosos: Imke, Sieglinde, Dorit, Eberhard, Inga, Uwe (e ainda se pronuncia “Uva”), Jochen, Wolfgang, Jens, Antje, Jörn, Aljoscha. Todos tirados numa rápida olhada na lista de contatos do meu namorado. Ha!

Se você quiser saber um pouco sobre nomes na Alemanha (como funcionam sobrenomes, quais nomes podem ser registrados em crianças (tem regra!) e outras coisinhas assim, dá um pulo nesse post aqui!


(Publicado em 18 de Outubro de 2015)