árvore de natal

Desmontando o Natal

Dia 6 de Janeiro é uma data importante na comemoração natalina. Religiosamente é a data (conhecida como a 12a noite após o Natal) que os 3 reis magos chegaram para visitar Jesus e também o dia em que Jesus foi batizado.

Muito que bem. Por essas e outras o dia 6 tem certo significado na cultura ocidental e é comemorado em alguns países de diferentes maneiras. Aqui na Alemanha, por exemplo, é o dia em que os Sternsinger aparecem na sua porta. São três crianças vestidas de reis magos (eram pra ser três, mas às vezes são 4, 5, 6…) cantando musiquinhas em troca de uns trocados e doces. Leia o post linkado acima para saber mais sobre os Sternsinger.

Mas o dia 6 também é marcado por outra coisa importante: é o dia de desmontar as decorações de Natal. Quem andou lendo outros posts recentes do blog talvez tenha visto o post sobre árvores de Natal. Naquele post eu falei sobre as árvores de Natal serem árvores de verdade aqui, que as pessoas frequentemente escolhem e cortam elas mesmas num viveiro de árvores de Natal.

O que eu não falei nesse post – e é um pequeno detalhe que nem passou pela minha cabeça até ser confrontada com o problema – foi: o que fazer com a árvore de Natal depois do Natal? Tem que jogar fora, claro. Duas semanas depois do natal as árvores já estão secando e perdendo as agulhas (as folhinhas). Mas onde jogar fora a árvore de Natal?

Não é uma questão tão simples quanto possa parecer. São 30 milhões de árvores de Natal descartadas no início de cada ano na Alemanha! (30 milhões dá 1 árvore pra cada 2.7 habitantes do país!) Várias dessas grandes demais para o lixo orgânico doméstico.

Há algumas opções de como descartar a sua árvore de Natal:

Você pode cortá-la em vários pedaços para colocar no lixo orgânico da sua casa, mas dá um certo trabalho, principalmente se sua árvore for maior. Algumas cidades recolhem árvores de Natal até certo tamanho (normalmente as pequenas) se você deixá-la ao lado do lixo orgânico nos dias de coleta do mesmo. E na maioria das cidades tem pontos de coleta espalhados pela cidade, para onde você pode levar sua árvore até certa data (normalmente no meio de Janeiro).

Esses pontos de coleta podem ser caçambas, containers, ou simplesmente uma área livre (por exemplo algum canto de algum parque) com uma plaquinha de ponto de coleta. Claro que tem um mapa com todos os pontos no site da prefeitura para você encontrar aquele mais próximo da sua casa. Esse é o mapa de Dresden com os pontos de coleta de árvore de Natal desse ano:

Unbenannt-1 Kopie

Photo 31.12.17, 15 03 27

São vários. Ontem levamos a nossa árvore de Natal para o ponto mais próximo de casa, menos de 200m de distância. Carregar não é um grande problema – as árvores são bem leves, ainda mais quando já estão secas. Mas o problema é que secas basta qualquer balançadinha pra já forrar o chão com as agulhas. Então você tem que enrolar a árvore em algum lençol para não ir deixando um rastro de folhinhas pelo caminho.

Muita gente já se desfaz da árvore logo depois do Natal, mas a maioria das árvores é jogada fora no dia 6 ou no fim de semana mais próximo. Então ontem a pilha de árvores no ponto de coleta estava bem notável:

Uma outra alternativa para se desfazer da sua árvore é fazer uma fogueira numa noite fria. Esse tipo de árvore queima bem e ainda solta um cheiro agradável ao queimar, então acaba sendo um eventinho – se você tem um quintal grande e uma “tijela de fogueira”. Sei lá se tem um nome pra isso em português, mas é tipo uma grande tijela de metal para fazer fogueira no quintal, assim:

feuerschale-test_07

Mas e o que a prefeitura faz com as árvores de Natal recolhidas? Bom, tem algumas opções. Grande parte vai pra compostagem junto com outros lixos orgânicos e vira adubo. Outra parte é queimada e usada para gerar bioenergia.

Mas uma alternativa interessante e inusitada é: algumas árvores viram comida de elefante! Eis que pinheiros de Natal são uma iguaria fina e super gourmet para elefantes. Então depois do Natal os elefantes dos zoológicos pelo país têm seu próprio banquete com árvore de natal no cardápio! Mas as árvores que viram comida de elefante são as que não foram compradas e são descartadas diretamente pelo fornecedor. As que a prefeitura coleta das casas das pessoas vêm muitas vezes com resto de parafina de vela ou com algum lixo qualquer dos enfeites que estavam na árvore, e que obviamente não são muito deliciosos para os elefantes.

now-2712f7ad-0c74-47c7-ab7a-ab008983d8b9-640-439

“Nossa, que delícia!” SEAN GALLUP/GETTY IMAGES

E assim termina o Natal!


(Publicado em 8 de Janeiro de 2018)

Mais sobre o Natal

Feliz Natal! É dia 26 mas esse post não está atrasado: Dia 26 ainda é Natal na Alemanha. É o segundo dia de natal, e as pessoas ainda dizem feliz natal no dia 26 (se elas não se encontraram já no dia 25).

Muitos posts já foram escritos sobre o Natal, mas sempre sobra algumas coisinhas extras. Esse post vai ser uma combinação de coisinhas variadas sobre o Natal que não cabem num post individual, e com referências a posts específicos antigos sobre outros temas.

Além do dia 26 também contar como dia de Natal, outra diferença no que diz respeito aos dias é que aqui as principais comemorações acontecem no dia 24. Tem a ceia de natal, claro, mas também é na noite do dia 24 que se troca os presentes. A meia-noite não tem grande significado – as pessoas não ficam esperando a meia noite para dizer feliz natal e se abraçar nem nada disso. E também não tem isso de fogos de artifício à meia noite – isso só acontece no ano novo, mesmo.

Assar um grande peru não é essencial, as ceias são bem variadas de família para família. A família do meu marido faz sempre fondue para a ceia de Natal.

IMG_5913

Uma palavra importante pra definir o Natal na Alemanha é: aconchegante. Um clima aconchegante dentro de casa é essencial. O item principal nessa questão é: iluminação. Lâmpadas brancas, por exemplo – que são comuns no Brasil em cozinhas e banheiros – aqui não se usa em casas quase nunca. Porque elas são frias e criam ambientes nada aconchegantes. Mas mesmo as lâmpadas amarelas, mais quentes, são apagadas quando se quer criar um ambiente aconchegante como durante a ceia de Natal. Em vez disso, acende-se abajures e velas pela sala de jantar. Iluminação indireta e velas são ideais para o tal ambiente aconchegante.

img_5940.jpg

IMG_5977.jpg

Até na árvore de Natal tem velas! Só tem que tomar cuidado para não colocá-las logo embaixo de um outro galho, mas são vários os enfeites de árvore de Natal onde coloca-se velas. Claro que só se acende as velas quando se está sentado em volta da árvore de Natal para abrir os presentes. A árvore, aliás, é sempre uma árvore de verdade, como já expliquei nesse post recente aqui.

Se você passar o Natal com uma família alemã, você vai perceber muito claramente uma característica típica dos alemães: tudo tem que planejar e organizar com horários marcados, mesmo que sejam coisas espontâneas com a família. Que horas a gente senta pra tomar um café da tarde, que horas a gente senta para a ceia, que horas a gente faz a troca de presentes, etc. Nesse ano ficou até uma discussão e pré-planejamento para ver como que as pessoas presentes iam sentar no sofá, quem em cada lugar, para trocar os presentes… rsrsrs!

Os alemães costumam passar o Natal em poucas pessoas, normalmente só a família mais direta – pais e filhos, sem tios, primos ou avós. É bem raro convidar alguém de fora da família para passar o Natal junto – namorados dos filhos por exemplo. Só nas relações que já duram há mais anos, onde o casal já mora junto há um tempo e já conhece toda a família do outro muito bem, é que o casal passa junto. E quando tem filhos logo começam a passar o Natal sozinhos o casal e os filhos em casa, indo encontrar a família de um ou dos dois só nos dias seguintes. Talvez por isso que aqui o Natal dure 3 dias em vez de dois? Aí dá pra passar o 24 só entre a família direta, dia 25 vai visitar a família de um e dia 26 a família do outro?

Ir à igreja no dia 24 ou 25 também não é incomum, para muitas famílias o Natal é a uma data do ano em que se vai à igreja.

Eu já escrevi um post sobre presentes que são comuns por aqui, mas vale a pena falar um pouco disso de novo também. Uma diferença do Brasil é que enquanto lá é muito comum dar roupa de presente, aqui isso é bem raro. Roupa é uma coisa que só se dá quando se conhece a pessoa muito bem. Tipo, uma alemã talvez desse alguma roupa para a irmã ou irmão, mas nunca para a sogra ou para tios. Por outro lado, um presente bem comum são vales. Vale para alguma loja grande – Amazon, Saturn, Globetrotter, por exemplo – ou vale ingresso de cinema, vale para uma sessão de fotos, vale para isso, vale praquilo. Ontem ouvimos no rádio que nesse ano os alemães gastaram um total de 3 bilhões de euros em vale-presentes para o Natal. E foi o presente mais comum.

Também muito importante nos Natais alemães são as bolachinhas de Natal. Já fiz um post sobre elas com algumas receitas, mas aqui nessa época é muito comum assar várias bolachinhas.

E as decorações também são importantes, embora muito diferente das decorações natalinas brasileiras. Aqui luzinhas são menos comuns que no Brasil, normalmente coloca-se luzinhas na árvore de Natal, mas não nas janelas ou sacadas como é comum no Brasil. Aqui são muito comuns algumas decorações de mesa, principalmente de madeira. Por exemplo:

IMG_5893

E presépios são uma decoração também muito presente, mesmo em famílias não particularmente religiosas.

Um dos primeiros posts sobre Natal que escrevi para o blog foi sobre decorações natalinas típicas daqui, que eu sempre achei muito bonitas e elegantes.

IMG_5912

IMG_5943

Mandar cartões de Natal e expor os cartões recebidos como decoração na sala também é bem comum por aqui. Tanto famílias quanto empresas costumam enviar cartões de natal para os conhecidos.

Acho que é isso!

Fröhliche Weihnachten!


(Publicado em 26 de Dezembro de 2017)

Cortando árvores de Natal

Nessa época do ano eu invariavelmente escrevo vários posts sobre Natal e temas relacionados. O Natal é uma comemoração tão importante na cultura dos países cristãos que não tem como você não falar sobre o Natal e pensar em Natal nessa época. E curiosamente todo ano aparece alguma coisa nova sobre o Natal que dá um post.

Esse ano pela primeira vez temos uma árvore de Natal em casa. A gente sempre passa o Natal com meus sogros, então nunca nos preocupamos de montar uma árvore de Natal pra ficar aqui sozinha enquanto a gente vai passar o Natal em Colônia.

Mas esse ano foi diferente.

Aqui na Alemanha as árvores de Natal são sempre árvores de verdade. Ninguém tem árvore de plástico aqui, pelo menos nenhuma família. Talvez se você for numa república de alguns estudantes você encontre lá uma arvorinha brega de plástico, pode ser. Mas numa casa de alguma família, onde as pessoas passam de fato o Natal, pode ter certeza que vai ter uma árvore de verdade. Os alemães ficariam horrorizados de se deparar com uma árvore de plástico. Mas claro, faz sentido, aqui as árvores de Natal já eram queridas antes de serem de Natal.

Aliás, uma observação importante. Árvores de Natal não são pinheiros. Pinheiro de Natal é na verdade um erro de tradução. As árvores da família dos pinheiros (são várias espécies diferentes) tem galhos parecidos com esse:

pinus_ponderosa_cones

A árvore de Natal “oficial” é uma Tannenbaum, em português se chama Abeto. Pois é, ninguém conhece esse nome, provavelmente por isso que traduzem pra pinheiro. Mas as árvores da família dos Abetos têm galhos parecidos com esse aqui:

abies_holophylla_03

É bem diferente, também na aparência da árvore como um todo. Mas tanto o Pinheiro quanto o Abeto são coníferas, árvores que permanecem verde o ano inteiro, e por isso sua ligação com o inverno e o Natal – porque são os únicos tipos de árvores que não perdem as folhas para o inverno. As coníferas tem uma grande importância na cultura de países frios. E o Natal não é no solstício de inverno por acaso, já muito antes do cristianismo o solstício de inverno era comemorado em diferentes culturas.

Mas voltemos às árvores de Natal. Então aqui todo mundo tem uma árvore de verdade, certo. E onde se arranja uma árvore?

Tem diferentes opções. Você pode roubar uma árvore da floresta mais próxima, não recomendo porque é roubo, mesmo. Mas tem quem faça isso. Mas a maioria das pessoas simplesmente compra uma árvore de algum produtor próximo. Tem vários lugares nas cidades onde os produtores trazem as árvores de Natal já cortadas para vender, mas você também pode ir direito no viveiro e escolher e cortar sua própria árvore de Natal.

No escritório em que trabalho, todo ano no início de dezembro os colegas e o chefe vão juntos buscar uma árvore de Natal em um viveiro de um amigo do chefe. Quem quer árvore de Natal em casa pega a sua, e juntos escolhemos uma árvore bem bonita para o escritório. Esse ano eu fui pela primeira vez junto – ano passado não pude ir e no ano anterior o evento acabou não rolando. A gente não tinha planos de comprar uma árvore de Natal já que não passamos o Natal aqui, mas já que estávamos lá resolvemos levar uma pequena. E o processo todo de ir escolher, cortar, embalar e levar a árvore foi tão divertido e novo para mim que não tive outra opção se não vir correndo escrever um post a respeito!

O tal viveiro de árvores de Natal fica em algum lugar há uns 40 minutos de carro de Dresden. Os alemães só colocam as decorações de Natal em dezembro, ou a partir do primeiro advento (o quarto domingo antes do Natal, que às vezes cai nos últimos dias de Novembro). Então o viveiro só abre para venda a partir do fim de semana do primeiro advento. Ou seja. Abriu hoje. Não por acaso, estava super cheio, muitas pessoas vão lá buscar suas árvores de Natal, e vários saem inclusive com várias árvores!

 

WhatsApp Image 2017-12-02 at 14.06.52

Parte do viveiro de árvores de Natal

IMG_3603

Tem árvores de todos os tipos, tamanhos e formatos. Os preços variam bastante de acordo com o tipo de árvore e o tamanho (a etiqueta no topo da árvore indica o preço). Tem algumas espécies diferentes, inclusive com cores ligeiramente diferentes. Na foto de cima, do lado direito dá para ver algumas árvores mais azuladas por exemplo. A árvore que escolhemos, uma bem pequena (em comparação com a maioria das outras árvores disponíveis, mas ficou grande o suficiente na nossa sala!), custaria só 9,99€. Mas alguns dos meus colegas que tem mais espaço em suas salas levaram maravilhosas árvores enormes, que teriam custado uns 60€ cada. Estou falando que teriam custado porque as nossas foram de graça – o chefe que pagou todas!

IMG_3604.JPG

A árvore que escolhemos é a da direita, verde clara. Bem pequena na média.

Bom, o primeiro passo é escolher a árvore. Daí o passo seguinte é cortar a árvore. Você pode pegar uma serra emprestada na entrada, claro.

IMG_3609

Meu marido cortando a nossa árvore

Quando eu digo “cortar a árvore”, você já deve estar imaginando um lenhador com uma serra gigante gritando “Madeeeeeiraaaa!” à la Picapau. Na verdade é bem mais simples que isso, já que essas árvores são bem pequenas (mesmo as grandes) em relação a árvores que se cortaria numa floresta para usar a madeira. A serra é super simplesinha e o tronco ainda é bem fininho. Difícil mesmo é se tiver tudo coberto de neve. Aí fica complicado encontrar o tronco, rsrsrs. Mas num dia como hoje, é bem tranquilo cortar a árvore.

Ok, árvore cortada, o próximo passo é embalar. Não tem como levar a árvore assim tão arvoresca pra casa. Então você fica aqui numa fila de pessoas com árvores esperando para embalá-las:

img_3618.jpg

E aí vem a parte mais engraçada: os funcionários do viveiro colocam a árvore numa máquina de embalar árvore, que puxa a árvore para dentro de uma rede. Assim:

Tchans! E assim ficam as árvores embaladas:

IMG_3648

Eu e a minha árvore (à direita) e a árvore do escritório (à esquerda).

Bem mais fácil de transportar.

Tá, aí você leva a sua árvore pra casa, mas como deixar uma árvore cortada de pé? Precisa de uma base, claro. E você precisa ter uma base especificamente para árvores de Natal. Lógico que é super fácil de achar pra vender em Dezembro. Tem vários tipos diferentes, nós compramos essa assim:

WhatsApp Image 2017-12-02 at 23.09.27

Não dá pra ver direito, mas ela tem um buraco no meio e quatro “dentes” que prendem o tronco da árvore. É uma base super pesada – tem que ser, se não a árvore tomba – e dá para colocar água dentro como se fosse um vaso.

Um detalhe importante é que os alemães costumam decorar a árvore só no dia 24! Frequentemente a árvore já está bonitinha em casa e com luzinhas desde o início de dezembro mas os enfeites mesmo só no dia 24. A gente vai enfeitar a nossa agora, mesmo, já que não estaremos aqui no dia 24. Já colocamos umas bolas iluminadas que é uma decoração bem comum por aqui.

2017-12-02 19.16.55

Aí pronto!

No começo (da minha vida na Alemanha) eu achei estranho que todo mundo tivesse árvores de verdade, me parecia ruim “matar” uma árvore só para ter ela decorada na sua sala e não sei o quê. Mas na verdade isso é uma ideia bem boba. A árvore foi plantada especificamente pra isso, num campo, tudo seguindo todas as leis ambientais e seja lá o que for. A gente meio que aprende que “cortar árvore” é uma coisa ruim, mas não é tão simples assim. Ruim é destruir o meio ambiente, não cortar uma árvore. Não tem problema nenhum cortar uma árvore (para usar a madeira, por exemplo), se aquela árvore veio ou de uma plantação para corte ou de uma floresta natural gerida de acordo com as regras ambientais de maneira que a quantidade de árvores cortadas não seja além do que a floresta naturalmente produz, etc. Na verdade essas coisas eu só aprendi depois que fiz um mestrado em ciências florestais. E plantar árvores de natal para vendê-las depois de um ano não tem nenhum impacto ambiental que justifique qualquer indignação ou estranhamento. É que a gente não está acostumado com a idéia mesmo.

Mas foi super divertida a experiência de hoje, e com certeza é muito mais legal ter uma árvore de verdade no Natal que uma árvore de plástico! (Só que tem que varrer as folhinhas do chão toda hora!)


Publicado em 2 de Dezembro de 2017