carro

TeilAuto – Carros compartilhados

A relação dos alemães com seus carros é um tema interessante. Eles também amam seus carros e gostam muito de dirigir, mas em comparação com as pessoas no Brasil, são bem menos dependentes do carro. Por um lado, a boa qualidade das calçadas, a vasta presença de ciclovias e a qualidade e oferta de transporte público facilitam as viagens a pé, de bicicleta, ou de ônibus e trem. E por outro lado, ou talvez até mais importante (até porque às vezes causa e consequência são intermutáveis), os alemães são acostumados a levar uma vida muito mais ativa que o comum no Brasil. Praticam esportes com maior frequência, aproveitam qualquer oportunidade para atividades ao ar livre, e tentam manter-se ativos em todas as idades.

E se você mora num centro urbano, a necessidade de carro é realmente mínima. Embora cada vez mais seja difícil encontrar alguém no meu círculo de conhecidos que não tenha carro (isso não porque o número está aumentando, mas pela idade, mesmo. Eu tenho cada vez menos conhecidos que são estudantes, hoje a maioria tem família, casa e emprego fixos, e tal), muitos usam com pouquíssima frequência e só para ocasiões não cotidianas – como uma viagem de fim de semana, um passeio para algum lugar mais longe, etc. Às vezes, quando queremos fazer alguma coisa que exige um carro (por exemplo ir no IKEA ou na loja de materiais de construção comprar algo que é grande demais pra carregar no tram, ou ir no supermercado comprar um estoque de 6 meses de pedrinha de gato), ficamos nos perguntando se não deveríamos ter um. Mas no final a conclusão é sempre a mesma: pra essa necessidade que aparece uma vez a cada dois, três meses realmente não vale a pena o custo.

Aí, há uns dois meses atrás, nos tocamos de uma opção alternativa que sempre esteve disponível mas que por algum motivo nunca nos chamou a atenção: os esquemas de carros compartilhados.

É um esquema diferente de aluguel de carro que é bem comum pela europa: basicamente a empresa locatora espalha carros pela cidade todas, na rua, mesmo, e você, se afiliando à empresa, pode alugar qualquer dos carros disponíveis em qualquer lugar e qualquer momento. É meio que nem esses esquemas de aluguel de bicicletas, que já tem em São Paulo e algumas outras cidades brasileiras, com algumas estações espalhadas pela cidade. A diferença entre esse sistema de carros compartilhados e um aluguel de carro normal é, principalmente, que você pode alugar por períodos curtos de tempo: meia hora, uma hora, duas. E você se cadastra uma vez só e pode pegar qualquer carro em qualquer momento sem precisar a cada aluguel assinar um novo formulário, buscar a chave em uma das sedes e no horário de funcionamento da locadora, etc. Então para situações em que você precisa de um carro rapidinho, para ir comprar não sei o que não sei aonde, para que não faria sentido alugar um carro, essa alternativa vem a calhar.

E como funciona? Vou explicar o esquema da TeilAuto, a empresa que tem aqui em Dresden e em que nos cadastramos. Para se cadastrar você paga 25 euros + um caução de 80. Tem três alternativas de planos de acordo com a frequência que você for usar os carros. Se você vai precisar deles com muita frequência, vale a pena algum dos planos em que você paga um valor mensal e cada aluguel sai mais barato. Se você vai usar pouco, vale mais a pena o plano em que você não paga nada por mês mas o valor de cada aluguel sai um pouco mais caro. Uma comparação básica que eles mostram no site: Para um passeio de 2 horas e meia e 15km com um carro pequeno, no plano básico (sem valor mensal) custa 9,84€, no plano regular (que você paga 9€ por mês) custa 8,20€ e no plano de usuário frequente (25€ ao mês) sai 6,56€. Para uma viagenzinha de um fim de semana, 250km com um carro médio, a diferença no preço já é bem considerável: 120,52€ para a tarifa básica, 100,43€ para a tarifa regular e 80,34€ para a tarifa de usuário frequente. O site ainda tem uma calculadora para você verificar qual tarifa vale mais a pena pra você de acordo com as viagens que você planeja fazer.

Uma vez cadastrado online, você vai em uma das lojas físicas levar sua carteira de motorista, pagar o caução e assinar o contrato. De lá você sai com o cartão de chip que serve para retirar e devolver os carros. Os carros estão espalhados realmente pela cidade inteira. Ou melhor, pelo país inteiro, em quase todas as cidades de porte médio a grande. O mapa dos carros disponíveis em Dresden, só para dar uma noção:

Teilauto.jpg

O número nos símbolos é, claro, a quantidade de carros disponíveis naquela estação. O que eu estou chamando de estações são, na verdade, vagas diversas espalhadas pela cidade exclusivas para aqueles carros.

Eis aqui um exemplo:

IMG_0699

A desvantagem do TeilAuto, em relação a algumas outras empresas de carros compartilhados, é que você tem que devolver o carro na mesma estação onde o retirou. Então não dá pra usar o carro em trechos só de ida. Por exemplo, digamos que você foi em algum lugar a noite e saiu as 3 da manhã e não quer ficar esperando o transporte público que vai demorar 1 hora pra chegar. Se você não precisasse devolver o carro na mesma estação de onde o retirou, daria para pegar um carro só para voltar tarde da noite (se você não consumiu álcool, claro) e deixar ele em algum lugar perto de casa. Mas como vc tem que devolver na mesma estação, ou você se planeja antes pra já ir com o carro – lembrando que você vai ter que pagar pelas horas que deixou o carro estacionado entre a ida e a volta – ou não funciona.

Algumas empresas tem um sistema diferente em que você pode deixar o carro em qualquer vaga gratuita de rua num raio de x km do centro da cidade. Bem mais prático, mas só funciona em cidades onde tenha uma oferta suficiente de vagas gratuitas na rua. E também faz mais sentido para cidades maiores. Aqui em Dresden não tem outras empresas além da TeilAuto, mas em algumas outras cidades há outras opções de empresas com esse sistema, como a Drive Now.

Seja como for, os carros compartilhados podem ser úteis em diversas situações. Desde que nos inscrevemos, utilizamos duas vezes: na semana passada, por exemplo, pegamos o carro pequeno da foto acima para ir comprar umas plantas e vasos na loja de materiais de construção. Foi bem prático e saiu uns 8 euros para alugar por 2 horas e andar +- 15km. Ainda não sei exatamente quanto saiu porque a conta chega no final do mês. Mas o aluguel do carro em si foi 5 euros, e aí em cima disso ainda vem adicionado o preço por km da gasolina.

IMG_1052

Ah é, esse é um outro ponto vantajoso desses carros compartilhados em relação a locadoras de carros comuns: você não precisa reabastecer. O preço do combustível utilizado é calculado baseado em quantos km você percorreu. Você só precisa reabastecer antes de devolver o carro se o tanque estiver com menos de 1/4 do combustível. Nesse caso você pode parar em qualquer posto de gasolina de determinadas redes, e com um cartão que fica guardado dentro no porta-luvas e um código que você recebe no celular quando retira o carro você reabastece sem ter que pagar do próprio bolso.

A retirada e devolução do carro também é toda automatizada: você usa seu cartão de membro, com chip, num leitor que fica num cantinho do vidro da frente para destrancar o carro. A chave fica guardada no porta-luvas, e para devolver o carro você usa de novo o cartão para trancar o carro com a chave dentro. A chave tem um chaveiro com chip que tem que ser encaixado num cantinho específico do porta-luvas, e só quando a chave está encaixada lá que você consegue trancar o carro com o cartão. E se você esquecer o cartão, também dá pra trancar ou destrancar o carro pelo app.

O app, aliás, é meio ruinzinho. Sei lá, ás vezes não funciona direito. Mas dá pro gasto. Pelo app ou pela internet você pode reservar um carro para um dia e horário específico, ver os carros disponíveis e todas as informações sobre suas reservas e carros alugados. Tem diferentes tipos e tamanhos de carros: dos minis, como o das fotos acima, a carros maiores e até vãs para transporte ou mini vans para 10 passageiros, etc. Tem todo tipo de opção.

E finalmente, outro ponto importante: O motorista do carro não precisa necessariamente ser a pessoa que está registrada. Desde que a pessoa registrada esteja presente no carro, qualquer um com uma carteira de motorista válida pode dirigir. Isso no plano básico. Nos planos regular e de usuário frequente você pode registrar até quatro motoristas, que podem então retirar carros no mesmo contrato de membro, sem pagar mais ao mês. Só a taxa de registro de 25 euros é paga por motorista separadamente.

Pra quem não tem carro e não vê sentido em ter para usar pouco, a opção dos carros compartilhados é uma boa alternativa pra ter um carro disponível nas poucas situações em que eles são realmente necessários. Por enquanto ainda estamos testando, para ver se a tarifa que escolhemos e o sistema no geral faz sentido pra gente, mas nas ocasiões que usamos foi super prático e funcionou muito bem!


(Publicado em 11 de Agosto de 2017)

Dirigindo na Alemanha 3 – Prova prática

Acabei demorando muito mais do que o esperado para escrever esse post que MEUDEUS. QUE. COISA. SOFRIDA.

Esse post é o último da série de como validar sua CNH na Alemanha.
O primeiro foi sobre os documentos necessários e o passo-a-passo, o segundo foi sobre a prova teórica, e esse será sobre a prova prática.

Eu vou começar a conclusão dessa série de posts te dando três conselhos que eu queria muito que me tivessem sido dados há alguns meses atrás:

1 – Não tenha pressa. Esse processo é demorado e pressa vai acabar te custando tempo e dinheiro. E juntamente com esse conselho, outro conselho relacionado: Comece o processo o quanto antes. Se você veio pra Alemanha pra ficar, vai atrás disso logo, porque aqui TODO MUNDO tem habilitação, e consequentemente pra qualquer emprego é quase 100% de certeza que vão esperar que vc possa dirigir. Eu fiz a bobeira de esperar precisar pra tirar, podia ter feito isso tranquilamente na maior calma nos anos em que estava fazendo o mestrado. Aí não fiz, comecei a trabalhar e de repente precisava e não tinha e demorou UM ANO pra eu conseguir tirar. Sorte minha que meu chefe é bem paciente.
2 – Na hora de se inscrever numa auto-escola, escolha baseado na sua afinidade com o instrutor (Fahrlehrer)!! (a maioria tem um ou dois, só) Você faz a prova com o instrutor da auto-escola sentado do seu lado, se você não se sentir confortável com seu instrutor, você vai ficar muito mais nervoso na hora da prova. Então quando você for escolher uma auto-escola, pede pra conversar com o instrutor, sério.
3 – e o mais importante: NÃO VÁ FAZER AS PROVAS ACHANDO QUE VAI SER TRANQUILO PORQUE VC JÁ DIRIGE HÁ VÁRIOS ANOS. Antes de marcar a prova prática faça tantas aulas práticas quanto o seu instrutor achar necessário!

Ok, lá vamos nós: primeiro, pra terminar o passo-a-passo iniciado nos dois posts anteriores, eis aqui os próximos passos após passar na prova teórica. Lembrando que preços em verde são variáveis de acordo com onde vc for, preços em azul são fixos/tabelados. Os passos estão descritos em: nome/descrição, preço, tempo de demora, nome em alemão.

Passo 12: Aulas práticas • 60€ •  depende de quantas você fizer • Fahrstunden
Eu coloquei o preço como variável, mas tenho minhas dúvidas se é mesmo variável, porque todas as auto-escolas que eu pesquisei ofereciam por esse preço. Eu já falei lá em cima mas vou falar de novo: sério. Faz as aulas. Eu sei que não precisa e que é caro, eu sei. Mas vai sair muito mais caro não passar na prova pq vc não estava preparado, e eu te juro que você vai precisar praticar dirigir aqui, com as regras daqui, antes de conseguir passar na prova. Eu nem sei quantas eu fiz, acho que umas 8, sei lá. Ah, 60 euros é pela aula dupla, de 1h30. O preço por aula é 30 euros, mas as aulas são sempre duplas.

Passo 13: Marcar a prova • 91,75€ para a Dekra + 90€ para a autoescola • de umas duas semanas a um mês • Termin für die Prüfung vereinbaren
Assim como a prova teórica, a prova prática tem que ser paga uma vez para a Dekra (equivalente ao Detran) e outra vez para a autoescola. Nesse caso faz sentido porque você faz a prova com o carro da autoescola E com o instrutor da mesma sentado do seu lado. Dependendo de quando e onde você fizer a prova, quando você vai marcar a mesma normalmente as próximas datas disponíveis são dali a 2 semanas, um mês. Pelo menos foi assim em Dresden, de repente em cidades maiores demora ainda mais, não sei. O valor vc normalmente paga no próprio dia da prova para o seu instrutor, mas dependendo da autoescola pode ser diferente. Na minha o instrutor fazia o depósito antes pra não correr o risco de você esquecer e não poder fazer a prova no dia, e você pagava em dinheiro para ele no dia.

Passo 14: Fazer a prova  • 45 minutos  • Praktische Prüfung
A prova tem duração de 45 minutos, e normalmente seu instrutor vai marcar com você uma aula de 45 minutos ou 1h30 diretamente antes da prova pra você dar uma treinada final e ficar já bem em forma pra prova. Se você passar de primeira: parabéns, ufa!! Se você reprovar, tem que pagar de novo para fazer outra prova, esperar pelo menos duas semanas para repetir, e obrigatoriamente fazer mais uma aula dupla com o seu instrutor antes da próxima prova… Mas com certeza você não pega o mesmo examinador, é obrigatoriamente outro. Você pode refazer a prova infinitas vezes até passar, mas a prova teórica vale só por um ano… então se depois de um ano de passar na teórica você ainda não tiver passado na prática, tem que refazer a teórica também! :/ Mas isso certamente não acontecerá! 🙂

Passo 15, o último: Ir buscar a habilitação alemã  • 15€  imediatamente  • Führerschein abholen
Com o comprovante de êxito da prova prática e a sua habilitação brasileira e documento de identidade (o mesmo que você usou para fazer as provas) em mãos, você pode ir à Führerscheinstelle durante o horário de atendimento para buscar a sua habilitação alemã, que já está prontinha sentadinha te esperando desde que você recebeu a carta dizendo que podia se inscrever na prova teórica. Porque eles realmente REALMENTE fazem muito esforço para cobrar tanto dinheiro quanto possível presse processo todo, você ao retirar a habilitação terá que pagar ainda 15 euros. Esse valor é para eles guardarem a sua habilitação brasileira. Só que não tem alternativa: vc não pode ficar com a brasileira, tem que deixar lá, e eles não podem destruir porque é um documento brasileiro que portanto pertence ao governo brasileiro. Então eles têm que guardar pra sempre em alguma gaveta com teias de aranha em algum porão escuro esquecido empoeirado. E te cobram 15 euros por isso.
Oh well. Mas aí você pega lá sua habilitação e tchans, fim!

Se você passar de primeira nas duas provas, você terá gasto para obter sua habilitação alemã um total de aproximadamente 465 euros + as tantas aulas que você tiver feito. Ou seja, espere gastar bastante dinheiro pra tirar sua habilitação alemã. É até bom que demora tanto pra tirar porque vc vai pagando esse dinheiro aos pouquinhos e não sente tanto.

OK, MAS VAMOS AO QUE IMPORTA:

Como é essa prova diabólica?

img_8081

Seguinte. Diferente de no Brasil, a prova você faz com o seu instrutor da autoescola sentado no banco de passageiro, e o examinador sentado no banco de atrás. Por isso que eu digo pra escolher uma autoescola com um instrutor que você tenha achado simpático e boa gente, porque se você não estiver confortável com seu instrutor, você vai ficar bem mais nervoso na hora da prova.

Bom, você chega lá na Dekra com seu instrutor no carro da autoescola, vem o examinador e senta no branco de trás, olha o seu documento de identidade pra ver se você é você mesmo, diz bom dia, etcetc, e dá umas instruções iniciais. Preste bem atenção porque essas instruções às vezes são diferentes dependendo do examinador. Por exemplo, ruas preferenciais que viram à esquerda ou à direita, alguns examinadores falam pra você seguir em frente se ele não disser nada, outros falam para você seguir o percurso da rua se eles não disserem nada. Coisinhas assim você tem que saber antes de começar a prova. Você não precisa fazer aquela cena de acertar os espelhos e o banco antes de começar a prova como no Brasil porque o examinador sabe que você veio pra prova dirigindo o mesmo carro.

Depois dessas instruções e antes de você dar partida, o examinador ainda faz alguma pergunta teórica. Normalmente são coisas como: onde liga o farol normal, o farol alto, o farol de neblina, o pisca-alerta, o limpador de pára-brisa, etc. Pra mim perguntaram o que eu tinha que saber sobre os pneus, a resposta é: tem que ver se não tem nenhum dano, que o perfil tem que ter 1,6mm, e se a pressão do pneu está correta – sendo que a pressão recomendada pode ser lida no manual do carro ou na tampa do tanque de gasolina. E como eu fiz a prova no inverno na neve, ele perguntou ainda que pneus têm que estar instalados naquela época do ano (pneus de inverno, logicamente). São exatamente essas três respostas que eles querem que você dê, e obviamente seu instrutor te dá fala isso antes – as perguntas que podem vir e as respostas que você tem que dar. Não é nada muito difícil.

Daí o examinador fala para você que pode começar a prova. Você vai dirigindo e ele vai dando as instruções de onde você tem que ir: vire à direita no próximo semáforo, vire à esquerda na próxima rua, entre na estrada na direção sei lá qual, etc. Você dirige normalmente no trânsito regular da cidade (e parcialmente fora da cidade também).

img_6562

Exercícios que aparecerão na prova com certeza:

Gefahrbremsung – Freagem de emergência > O examinador te avisa que agora você vai fazer a Gefahrbremsung. Você tem que então andar a 30km/h até seu instrutor dizer STOPP. Você tem que frear com toda força empurrando o freio e a embreagem ao mesmo tempo tão rápido quanto possível. Nada de muito especial, mas é algo que embora você faça automaticamente se for necessário, dá aflição de fazer só porque te pediram.

Paralleles Parken – Baliza > Você certamente terá que fazer uma baliza durante a prova, mas essa é a única parte da prova que é mais fácil que no Brasil. Normalmente eles escolhem um lugar com espaço suficiente pra encaixar cinco elefantes entre os dois carros, sério. Você tem três chances pra consertar, se não conseguir fazer a baliza direitinho da primeira tentativa.

Umkehren – Dar meia-volta > Em algum momento da prova o examinador vai pedir pra você procurar um lugar para dar meia-volta. Você tem que achar um uma vaga 90˚ ou uma entrada de algum lote, manobrar no mesmo de ré para sair de novo de frente. Também tá fácil.

Pode ser ainda que o examinador queira que você estacione 90˚ em algum lugar, mas não aparece em toda a prova.

Outras coisas que quase com certeza aparecerão na sua prova:

30 ZoneEm algum ou alguns momentos da prova você vai entrar numa 30 zone, onde tem que andar a 30km/h e nos cruzamentos dar preferência pra quem vier da direita. Essa é uma das regras mais difíceis de acostumar, na minha opinião. Porque por exemplo, numa rua que termina em outra num T. Pra mim é impensável que você vindo da rua que termina teria preferência sobre quem está na rua que continua. Mas se a pessoa está vindo da esquerda, a preferência é sua, ele tem que parar pra você entrar na rua. A regra é simples e direta, mas é estranhamente difícil acostumar com isso.

Autobahn – Auto-estrada > Certamente em algum momento da prova você vai ter que pegar estrada. O examinador quer ver que você sabe entrar direitinho na estrada, ultrapassar, e sair direitinho da mesma. Normalmente ele fala para você pegar já a primeira saída, mas não hesite em ultrapassar com medo de que ele fale que você tem que sair da estrada logo, porque eles normalmente querem ver que você sabe ultrapassar. O examinador avisa com bastante antecedência antes da saída que você tem que pegar, então é tranquilo. Na Alemanha não tem velocidade máxima nas auto-estradas, mas na prova você não deve passar de 130km/h, que é a velocidade recomendada para as mesmas.

Estrada que não é Autobahn > Também em algum momento da prova você vai entrar em alguma estrada menor sem separação física entre as duas direções. Nessas estradas a velocidade máxima é 100 km/h.

Variadas regras de preferência > Os alemães têm toda uma série de regras de quem tem preferência onde, e placas referentes a preferência. Eu falei de algumas delas no post sobre a prova teórica. Certamente você vai durante a prova passar por vários desses lugares onde você tem que saber que a preferência é sua, ou que é do outro.

Pois é, cabe tudo isso nesses 45 minutos de prova! Essa é a pior parte: tem tempo suficiente pra você conseguir bombar!

Coisas importantes pra você lembrar: Tem que sempre fazer a maior cena de virar a cabeça pros lados quando for virar ou mudar de faixa. Eles chamam de Schulterblick: vista por cima do ombro, e é basicamente pra você ter certeza que não tem nenhum carro, moto ou bicicleta no ponto cego dos espelhos. Então tem que sempre olhar pros lados, não basta olhar nos espelhos.

Outra coisa é de não andar nem muito rápido nem muito devagar!!! Eu quase bombei porque em uma determinada rua eu andei muito devagar!! Eles querem saber que você sabe qual é a velocidade permitida em todas as ruas, então você tem que sempre andar tão próximo da velocidade permitida quanto possível. (Claro, se for na estrada você não precisa necessariamente andar a 100km/h ou 130km/h, você pode ajustar à velocidade de acordo com a situação. Mas nunca muito devagar!!) Dentro das cidades a velocidade máxima é sempre 50kmh, exceto nas 30 Zone ou quando estiver indicado diferente (normalmente 30km/h por algum motivo específico qualquer: curva perigosa, faixa de pedestre, etc).

Você tem que ficar sempre muuuuuito atento atodas as placas, e MEUDEUSCOMOELESGOSTAMDEPLACA. Eu só percebi depois de algumas aulas o quanto aqui se depende de placa. No Brasil tem bem menos placas, tenho certeza, é tudo regulado mais com semáforos, lombadas, lombadas eletrônicas, etc. Eu nunca vi uma lombada aqui. Em vez da lombada é uma placa dizendo que ali a velocidade permitida é menor e pronto, as pessoas respeitam (ou não, sei lá).

Outra coisa, a que mais me deixou insegura nas provas, é que você não pode ser cuidadoso DEMAIS. Sério. Você reprova se for CUIDADOSO DEMAIS. Se a preferência é sua e você parar pra olhar, por exemplo! Ou se onde você tem que só diminuir a velocidade e não parar, você parar de fato. Vc não vai reprovar de fazer isso uma ou outra vez, mas se fizer várias, sim.

Alguns erros o examinador também “perdoa” se não forem muitos, por exemplo se você estiver dirigindo devagar, se você esquecer de olhar pro lado uma vez ao mudar de faixa, coisas assim. Se você fizer vários você reprova. Mas um ou outro tudo bem.

Outros erros te reprovam imediatamente. São basicamente os erros que o seu instrutor, sentado do seu lado, tem que corrigir. Se ele tiver que frear, por exemplo, toca um alarme e você reprova imediatamente. Então em casos como: se você não parou totalmente numa placa de Pare, se você não diminuiu a velocidade num cruzamento de uma 30 Zone pra ver se tinha alguém vindo da direita, se você não deu preferência quando tinha que dar, essas coisas.

Se você reprovar por algum desses erros de reprovação imediata, ou se você cometer muitos errinhos já na primeira metade da prova, eles pedem pra você parar o carro, falam que você bombou, e o seu instrutor que dirige de volta pra Dekra. Se você terminou a prova na Dekra não significa que você passou! Ao estacionar o examinador vai falar as coisas que você errou ou fez mais ou menos, e te dizer se você passou ou não. Quando eu passei, o examinador citou alguns erros que eu fiz e deu a entender que estava sendo bem legal de me passar, rsrsrs!

Se você passou, parabéns!!! Finalmente terminou!! O examinador vai imprimir um papel dizendo que você passou ali na hora mesmo, eles têm com eles um laptop e uma impressora portátil! O_O Esse papel você leva pra Führerscheinstelle juntamente com a sua habilitação brasileira (que vai ficar retida com eles).

E agora você terá a sua habilitação alemã PRA TODO O SEMPRE. Precisa renovar o documento a cada 15 anos, mas só pra trocar a foto por uma mais recente. Nem o teste de visão precisa fazer de novo! A sua habilitação brasileira fica retida, mas se você resolver mudar de volta pro Brasil você pode trocar e pegar sua brasileira de volta, deixando a alemã. Mas segundo a lei alemã não é permitido ter as duas.

E bom, claro, se você dirigir bêbado ou drogado, aí você perde sua habilitação e tem que fazer o processo tuuuuuudo de nooooovooo do zeeeeero. Faz isso, não.

Pra terminar, eu vou ressaltar aqui de novo meu conselho de amigo do início:
FAZ. VÁRIAS. AULAS. ANTES. DE. MARCAR. A. PROVA. PRÁTICA. Só marca a prova prática quando seu instrutor disser que acha que você já tá craque. Sério. Eu sei, eu sei, você tem carta há 10 anos. Tudo bem. Você dirige bem. Eu acredito. Você não quer gastar muito dinheiro. Eu compreendo. Você suspeita que seu instrutor vai fazer você fazer umas aulinhas a mais pra ganhar um pouco mais. Pode ser. Mas não vale a pena você gastar tanto dinheiro pra fazer a prova, quase 200 euros, e reprovar porque não tinha praticado o suficiente. Todo mundo consegue passar eventualmente, é uma questão de prática. Então faça-se um favor e não perca tempo e dinheiro fazendo provas a mais quando tudo o que você precisava era de um pouco mais de prática pra se acostumar com as regras diferentes daqui. Eu queria ter recebido esse conselho de amigo!

Boa sorte! 🙂


(Publicado em 02 de Fevereiro de 2017)

Estacionando na Alemanha

Estamos de férias e pela primeira vez passeando um pouco de carro por aí. Não temos carro – em Dresden é completamente desnecessário – mas viemos passar as férias na casa dos sogros, que estão viajando, então aproveitamos para fazer uns bate-voltas por perto.

E agora com a história de tirar a carteira de motorista e com essas viagens de carro, estou percebendo várias coisas particulares da Alemanha na sua relação com carros.

Uma dessas questões é estacionar. Em cidades grandes alemãs é quase sempre pago estacionar na rua. Funciona mais ou menos que nem Zona Azul: você para o carro, compra um ticket (Parkschein) numa das maquininhas de ticket de estacionamento que nem nas ruas de acordo com quanto tempo você vai deixar o carro lá, e deixa o ticket dentro do carro. As regras variam de local pra local e estão escritas embaixo da placa que diz que é permitido estacionar. Pode ser que aos fins de semana seja gratuito, ou então a partir das 21h, ou então só pode estacionar por 2 horas, etc. É comum também que em áreas residenciais seja permitido estacionar apenas quem mora nos quarteirões ali em volta. Os moradores têm um documento específico (uma plaquinha verde) que deixam dentro do carro, e quem estaciona sem essa plaquinha leva multa. Em algumas dessas áreas, pode ser permitido para não-moradores estacionarem durante o dia, mas aí durante a noite é só para moradores. Enfim, as regras podem ser inúmeras, e estarão escritas na plaquinha.

Mas uma coisa que é bom prestar atenção é que às vezes as plaquinhas ficam meio escondidas. No Brasil é normal que as plaquinhas relativas às regras de estacionar na rua estão sempre ali onde você estacionaria. No quarteirão seguinte, se as regras são as mesmas, a plaquinha aparece de novo. Não tem como não ver as placas.

Mas na Alemanha não é incomum que tenha só uma placa na entrada da rua que serve pra toda rua, ou mesmo uma placa na entrada daquela zona inteira (sei lá, uns 4, 5 quarteirões), que serve pra toda aquela zona. Aqui as áreas residenciais normalmente são “30 Zone”, que assim que vc entra numa dessas zonas, valem algumas regras como velocidade máxima de 30km/h. (Aliás uma informação extra apenas por curiosidade só assim-pra-quem-interessar-saber-pq-as-pessoas-gostam-de-uma-comparaçãozinha-básica-né: a velocidade máxima dentro de cidades alemãs é via de regra sempre 50km/h, exceto nessas zonas em que é 30km/h, ou ainda outras zonas mais restritas ainda, onde é 10km/h).

Aí pode ser que junto com essa plaquinha de 30 Zone apareça alguma plaquinha especificando as regras para estacionar nas ruas de toda a zona. Só nas entradas aparece a plaquinha, e aí no meio da zona você tem que saber que passou por uma plaquinha e as regras eram xyz.

unbenannt-19(3)

Tem alguns lugares também em que você não precisa pagar para estacionar, mas pode estacionar só por um período máximo de x horas (por exemplo 2 horas). Para o guarda saber quanto tempo você está lá, você tem que deixar no carro uma plaquinha que diz o horário de chegada. É uma plaquinha padrão (chama Parkscheibe) que você compra baratinho em qualquer posto de gasolina (ou vc pode até imprimir em casa, desde que siga o padrão de cor e dimensões definidas) e deixa no carro para usar nessas ocasiões, tem essa cara:

papp-parkscheibe_ohne_benzinrechner_vorne

Se você quiser voltar duas horas depois (ou seja lá quanto tempo for permitido estacionar no local) para remarcar o horário, você tem que tirar o carro, dar uma volta no quarteirão e estacionar de novo. A regra é que vc tem que sair do local onde o carro está estacionado pra dar a chance a outros motoristas estacionarem lá. Mas não me pergunte como que o guarda vai saber se você fez isso ou não. Interessante também é que no disco que mostra o horário, as marcações estão de meia em meia hora. A princípio não é permitido colocar o disco marcando algo no meio, tem que sempre estar marcando em um dos risquinhos, ou seja, ou às 14:00, ou 14:30, ou 15:00, ou 15:30, etc. E a regra é que você pode marcar no “risquinho” que seria o “próximo”. Pra explicar melhor só com exemplo: se você estacionar às 9:07, por exemplo, você pode marcar na plaquinha 9:30. Se você estacionar às 9:25 você também deve marcar 9:30 (óbvio que se vc chegar às 9:25 vc vai esperar até às 9:31 pra poder marcar 10:00, né? rsrsrsrs).

E quando é pago, o preço normalmente é bem salgado, principalmente em lugares mais movimentados no centro.

Estacionamentos “fechados” existem, são normalmente públicos, e costuma ter placas pela cidade apontando pros estacionamentos mais próximos que além de tudo ainda mostram quantas vagas estão disponíveis! Às vezes são só um lote com algumas vagas (Parkplatz) e uma máquina de ticket de estacionamento como as de rua, às vezes são enooormes prédios de estacionamento (Parkhaus), com vários andares, que você só entra ou sai colocando ou tirando o ticket da maquininha que nem em shopping.

E aí que vem o esquema sagaz: eles organizam os estacionamentos, preços, etc, de maneira a te desencorajar ao máximo de ir para o centro de carro. Alguns dos estacionamentos maiores têm um nome específico: P+R. E são indicados com a seguinte plaquinha:

IMG_1648

P+R significa Park und Reise, algo como estacione e viaje. Quando você vir uma plaquinha indicando para um estacionamento desse tipo, significa que o estacionamento está diretamente conectado com o transporte público: ou exatamente do lado de uma estação de trem ou metrô, ou logo na frente tem um ponto de ônibus onde param várias linhas para o centro, etc. E esses estacionamentos costumam ser gratuitos, às vezes por tempo ilimitado, outras vezes por um tempo definido, por exemplo 24h. A idéia é que quem mora meio fora da cidade ou nos subúrbios e trabalha no centro pode ir de carro até um desses estacionamentos e pegar de lá um metrô que te leva em 10 minutos até o centro. Em várias cidades (provavelmente em qualquer cidade de tamanho razoável) esses estacionamentos são então estrategicamente posicionados nas entradas da cidade, ou nas entradas da área central, para desencorajar as pessoas de irem de carro até o centro. Se no centro você além de sofrer pra achar vaga paga, sei lá, 2 euros por hora para estacionar e tem que tirar o carro a cada 2 horas e estacionar de novo, ou então 15 euros para estacionar o dia inteiro num dos estacionamentos públicos no centro, acaba valendo muito mais a pena você deixar o carro num desses P+Rs de graça o dia inteiro, pegar o metrô pro resto do seu percurso por um valor bem mais em conta e pronto. Funciona muito bem e é um esquema bem sagaz para diminuir o trânsito e o excesso de carros nas áreas centrais das cidades maiores.

IMG_1647

Um prédio residencial com um estacionamento público nos dois primeiros andares.

Pela nossa experiência passeando de carro em várias cidades nos últimos dias, estacionar no centro nunca vale a pena – é difícil de achar vaga e super caro. Quase sempre faz mais sentido deixar o carro em algum outro lugar e fazer o resto do percurso de transporte público.

(E só pra terminar: uma coisa que você não vai encontrar nunca jamais é estacionamento com manobrista. Esquece.)


(Publicado em 10 de Agosto de 2016)

Dirigindo na Alemanha 2 – Prova teórica

Hoje finalmente fiz a prova teórica para tirar a habilitação alemã – e passei!

Esse post é a parte 2/3 sobre como validar sua habilitação na Alemanha. Na parte 1 eu expliquei a parte burocrática, nessa parte vou falar sobre a prova teórica, e na parte 3, sobre a prova prática.

Retomando a história. Se você seguiu os 7 passos descritos no primeiro post, você entregou seus documentos na Führerscheinstelle e agora está esperando a carta que diz que você pode se inscrever para a prova teórica. Chegando a carta (pra mim demorou QUATRO MESES pra chegar!), os próximos passos são…

Passo 8: Ir até sua auto-escola pra marcar o teste teórico • 30€ • quase imediatamente • theoretische Prüfung
Quando eu fui na Autoescola marcar a prova, escolhi fazê-la dali a duas semanas, pra dar mais um tempinho de ter certeza que eu sabia o que tinha que saber pra prova. Mas tem vários horários pra prova e dá pra marcar – pelo menos aqui em Dresden – quase que pro dia seguinte. Eu imagino que em cidades maiores demore mais pra marcar, não sei. Daí pra auto-escola você tem que pagar 30 euros, só pra eles marcarem a prova pra você. Só isso, eles entram num sistema online qualquer, marcam o horário pra prova, e te cobram 30 euros por isso. E é um valor fixo, então em qualquer auto-escola vai ser assim.

Passo 9: Estudar pra prova • 0€ – 60€
Bom, o preço que você vai pagar pra estudar depende do material que você escolher usar. Você pode comprar o material de estudo que te oferecem nas Auto-escolas (Livro + DVD + código pra usar um portal online) por 55 euros (ou mais, pelo que eu tinha visto pra comprar o livro em outra língua que não alemão era mais caro), ou você pode comprar apps ou pagar uma inscrição em algum site, tem várias opções. Eu escolhi a opção mais barata: baixei um app de graça que é super bom e eu super recomendo, chama iTheorie. O único problema do app é que só tem a opção de estudar em alemão. Então se você escolheu fazer a prova em outra língua (no primeiro post eu expliquei quando que você escolhe a língua da prova e quais as opções), pode ser meio contra-produtivo estudar em alemão e fazer a prova em português ou inglês.

Vou dar mais detalhes de como eu estudei e como é a prova mais pra frente no post.

Passo 10: Ir buscar sua habilitação brasileira na Führerscheinstelle • 0 • assim que você receber a carta
Você vai precisar apresentar sua habilitação brasileira na hora de fazer a prova teórica, então não se esqueça de ir buscá-la quando vc receber a carta dizendo que você já pode se inscrever pra prova!

Passo 11: Ir até a Dekra no dia e horário marcado pra fazer a prova • 20,83 • resultado sai imediatamente
A prova custa 20,83 euros, você pode ou fazer uma transferência do dinheiro pra Dekra e levar o comprovante pra prova, ou trazer o dinheiro e pagar na hora. No segundo caso você tem que trazer o dinheiro EXATO, vinte euros e oitenta e três centavos. Os documentos que você precisa levar pra prova:
I –  O seu passaporte ou documento de identidade (no caso o documento de residência da Alemanha, ou documento de identidade europeu se for o caso). Quando você entrega os documentos na Führerscheinstelle eles colocam o número do documento que você tem que trazer pra prova, traga esse.
II – A sua habilitação brasileira
III – O dinheiro ou comprovante de pagamento
IV – O seu Bewerbernummer (número de inscrição), que a sua auto-escola terá te passado na hora que você marcou a prova.

Você faz a prova num iPad e o resultado sai imediatamente! Se você passar, no dia seguinte já pode ligar pra sua auto-escola pra marcar a prova prática!

Até agora você terá gasto, ao todo (incluido os passos do primeiro post e os desse post), por volta de 290€ (se você tiver pago pelo material de estudo) ou 240€ se você tiver emprestado o livro de alguém ou estudado por algum app gratuito, etc.

Mas agora vamos à parte que interessa: como é a prova, o que vc precisa saber, como são as questões, etc!

Primeiro deixa eu avisar que: a prova teórica daqui é beeeeeem mais difícil que a do Brasil, nem se compara! Então leva essa prova a sério e se prepara mesmo, que se você não passar terá que pagar as taxas de novo pra marcar outra!

É o seguinte: existe um catálogo oficial de questões da prova, a partir do qual 30 questões são escolhidas aleatoriamente. Esse catálogo tem, ao todo, 1.047 questões. Sim, você leu certo, mil e quarenta e sete perguntas. Sua prova conterá 30 dessas mil e poucas questões. A escolha é mais ou menos aleatória pq as questões são divididas em algumas categorias diferentes: direção defensiva, sinalização de tráfego, mecânica, meio ambiente, conduta no tráfego, regras burocráticas e prioridade. E aí na prova tem sempre, por exemplo, 10 perguntas sobre direção defensiva, 2 perguntas sobre meio-ambiente, etc.

Cada pergunta tem um peso diferente, variando de 2 a 5 pontos. Os pontos contam “ao contrário”, quer dizer: a regra pra passar é que você só pode errar um máximo de 10 pontos. Isso significa, por exemplo, que vc pode errar ou  uma pergunta de 5 pontos e uma de 4, ou 3 perguntas de 3 pontos, ou 5 perguntas de 2 pontos, ou 1 pergunta de 5 pontos e três de 2 pontos, etc. Somando no máximo 10. Se passar de 10, você reprova. A grande maior parte das perguntas tem 4 e 5 pontos, então normalmente com 3 questões erradas você já reprova. (Detalhe: se você errar duas perguntas de 5 pontos, vc reprova tb, mesmo podendo errar até 10 pontos. É um exceção.)

Quanto ao formato das perguntas: a maioria é de múltipla escolha, só que é um pouco diferente. Tem normalmente 3 alternativas, e podem estar corretas uma, duas ou três alternativas! Então pra maioria das questões não rola descobrir a alternativa certa por exclusão, você realmente tem que saber pra todas as alternativas se aquela é certa ou errada!

Algumas perguntas não têm alternativas, mas a resposta é só um número, por exemplo: Se você estiver dirigindo com uma velocidade de 100km/h, qual é a sua distância de freagem (Bremsweg)?
Aí você tem que calcular com uma fórmula ({velocidade em km/h}/10 x {velocidade em km/h}/10 = {distância de freagem em m},  no caso, 100m)  e digitar só o número 100.

Algumas perguntas têm ou uma imagem ou um vídeo. As com vídeo, na prova você vai poder assistir o vídeo no máximo 5 vezes e você só pode ver a pergunta depois de assistir o vídeo. Depois que você ler a pergunta, não dá mais pra assistir o vídeo, então você tem que tomar cuidado de observar todos os detalhes do vídeo, principalmente pedestres, ciclistas, motociclistas ou carros que bem na hora que o vídeo termina entram no ponto cego do espelho do carro, tem várias questões que se vc não tiver prestando atenção no espelho você não vai saber a resposta. Os vídeos são super detalhados e bem feitos! No seu material de estudo (por exemplo esse app que eu comentei, o iTheorie) você vai ver exatamente os vídeos e imagens que podem aparecer na sua prova.

Pra terminar, vou colocar aqui uns exemplos de perguntas que podem aparecer na prova. Vou colocar duas de cada categoria, pra dar uma idéia geral de como são as perguntas. Os prints são do app iTheorie e a tradução é minha. Se você for fazer a prova em português, não confie que a minha tradução vá ser igual à da prova, que a prova é em português de Portugal e eu tb não sei os vocabulários específicos em português já que estudei em alemão e fiz a prova em inglês.

Exemplos de perguntas!

Categoria: Direção defensiva (Gefahrenlehre)

Pergunta à esquerda: Ao que você deve atentar neste momento?

Resposta: > À bicicleta
                    > Ao carro à sua frente

Essa é uma das perguntas com vídeo. Não dá pra eu postar o vídeo aqui, mas nele você veria que poucos segundos antes dessa imagem (que é como termina o vídeo) um ciclista vindo à sua direita entra no ponto cego do seu espelho direito. Também não dá pra ver na imagem, mas você está com a seta para a direita ligada, ou seja, você quer virar à direita, assim como o carro à sua frente. Então nesse momento você tem que prestar atenção ao carro à sua frente, que pode frear de repente se aparecer um pedestre ou coisa assim, e ao ciclista que está no seu ponto cego, que pode seguir em frente.

Pergunta à direita: Você quer ultrapassar. O que você tem que ter em mente?

Resposta: > Que o ciclista diretamente à minha frente pare de repente.
                    > Que o ciclista mais distante vire à esquerda

Na imagem você vê o que o ciclista diretamente à sua frente está acenando para os pedestres – então talvez ele pare para conversar com os mesmos. E pela posição do ciclista mais distante, dá pra ver que ele está virando à esquerda, como quem vai desviar de algum obstáculo. Então você tem que ter em mente, se for ultrapassar esses ciclistas, que o outro ciclista pode virar à esquerda e que o ciclista à sua frente pode frear de repente.

Váááááárias questões envolvem ciclistas, várias mesmo. Se você passar nessa prova, você definitivamente aprendeu a considerar ciclistas participantes normais do trânsito, que devem ser respeitados, e não alguém que está ocupando o espaço destinado tão somente ao seu divino e imaculável carro.

Categoria: Conduta no tráfego (Verkehrsverhalten)

iTheorie

Pergunta à esquerda: Você está dirigindo a 100km/h e tem um tempo de reação (Reaktionszeit) de 1 segundo e uma freagem normal. O quão longa é a distância de paragem (Anhalteweg) de acordo com a fórmula da regra prática?

Resposta: 130m 

Aqui é o seguinte. Tem essas fórmulas práticas (Faustformel) pra calcular distância de freagem (Bremsweg), distância de reação (Reaktionsweg) e distância de paragem (Anhalteweg). A distância de paragem (quantos metros vc precisa pra parar o carro) é a distância de freagem (quantos metros vc precisa pra frear) e a distância de reação (quantos metros você anda no tempo que vc demora pra reagir quando precisa frear (normalmente é 1 segundo). As fórmulas são:

Distância de freagem (Bremsweg) em m = {velocidade em km/h}/10 x {velocidade em km/h}/10

Distância de reação (Reaktionsweg) = 3 x {velocidade em km/h}/10 x {tempo de reação em s}

E a distância de paragem (Anhalteweg) a soma dos dois. Então nesse caso temos

Bremsweg: 100/10 x 100/10 = 10 x 10 = 100 m
Reaktionsweg: 3 x 100/10 x 1 = 3 x 10 = 30 m
Anhalteweg: 30 + 100 = 130 m

Pergunta à direita: A que distância você deve parar da “cruz de Andreas” (Andreaskreuz)  fora de cidades?

Resposta: 50m

Mais umas explicações: essa cruz de Andreas é uma placa em formato de X com pontas vermelhas, que é o que indica que a rua cruza um trilho de trem. Assim:

Zeichen_201

Essa placa indica onde você deve parar se o cruzamento estiver fechado porque um trem vai passar. Dentro de cidades você deve parar a 5m de distância dessa placa, e fora de cidades, a 50m.

Outras distâncias boas de saber que são perguntadas na prova: você só pode parar ou estacionar há 5m de distância de uma faixa de pedestres (5m antes da faixa, depois da faixa não tem distância mínima) e você só pode estacionar há 15m de distância de uma placa de ponto de ônibus.

Categoria: Prioridade (Vorfahrt/Vorrang)

A questão de quem tem ou deve dar a prioriade a quem é aqui SUPER diferente de no Brasil. Vou dar uma explicação rápida antes das perguntas. Basicamente é o seguinte: quando um cruzamento não tem nenhum sinal especificando se a prioridade é sua ou não, você deve seguir a regra “direita antes da esquerda”. Significa que carros/bicicletas/motos vindos pela rua à sua direita têm prioridade sobre você, e você tem prioridade sobre carros/bicicletas/motos vindos pela rua à sua esquerda. Quanto a carros/bicicletas/motos vindo na direção contrária à sua: se vocês estão entrando na mesma rua, tem prioridade àquele que está virando à direita e não á esquerda. Se ambos estão virando à esquerda, devem fazer a curva na frente um do outro. Ambos virando à direita ou indo em frente não se influenciam.

É importante prestar atenção no seguinte: não importa se uma rua é asfaltada e a outra é em paralelepípedo, ou se uma rua é maior e a outra é menor, isso não dá nenhuma indicação de prioridade. O que indica a prioridade são sempre as plaquinhas, ou, se não tiver plaquinhas, a regra “direta antes da esquerda”. Isso vale INCLUSIVE se não forem duas ruas se cruzando, mas uma rua chegando em outra rua! Por exemplo, você está indo em uma rua que continua em frente, e tem uma rua chegando à sua direita que não cruza, só termina na sua rua. Se tiver um carro/bicicleta/moto vindo dessa rua, como ele está à direita, ele tem prioridade.

Já quanto às placas. Tem as seguintes placas importantes sobre prioridade:

Vorfahrt gewahren   Zeichen_208      stop

Essas três placas acima dizem que você deve dar a prioridade. A primeira significa simplesmente que a prioridade é da rua que está cruzando. A segunda diz que carros/bicicletas/motos vindo na direção contrária à sua têm prioridade (por exemplo se tem algum trecho da rua em que por algum motivo tem só uma faixa pra ambas as direções, e os carros vindos de cada direção têm que se alternar pra passar por aquela faixa). E a velha e conhecida placa de pare significa que você deve dar a prioridade E que você deve, de fato, parar antes de continuar! Não vale só dar uma reduzida na velocidade, com placa de pare tem que parar mesmo, pq é um cruzamento particularmente perigoso.

Vorfahrt Straße   vorfahrt

As duas placas acima dizem que a prioridade é sua. A primeira indica que você está numa rua prioritária (então você tem prioridade nesse cruzamento e também no próximo, até aparecer uma placa “cancelando” a prioridade, ou até a rua terminar). Já a plaquinha seguinte significa que você tem prioridade no próximo cruzamento, mas essa não é uma rua prioritária, então provavelmente no cruzamento seguinte você terá que dar a prioridade.

mapinha

Essa plaquinha indica que a rua que tem prioridade vira à direita ou à esquerda. Às vezes é uma grande avenida com uma curva, por exemplo, e ruazinhas pequenas chegando, e aí tem que ficar especificado que a rua prioritária vira. A plaquinha tá sempre virada no sentido de acordo com a sua posição.

Então vamos aos dois exemplos de perguntas:

iTheorie

Pergunta à esquerda: Qual conduta é correta?

Resposta: > Eu devo dar a prioridade ao carro vermelho
                    > Eu tenho prioridade sobre o carro azul

Nesse cruzamento não tem nenhuma placa, então vale a regra “direita antes da esquerda”. Logo, o carro que está vindo pela rua à sua direita, o carro vermelho, tem prioridade sobre você e você tem prioridade sobre o carro que está vindo pela rua à sua esquerda.

Pergunta à direita: Qual conduta é correta?

Resposta: > Eu tenho que esperar

Aqui tem uma placa de rua prioritária, e embaixo uma plaquinha indicando que a rua prioritária vira à direita. Portanto, se eu estou virando à esquerda, eu estou saindo da rua prioritária, e o carro amarelo está vindo pela direita e seguindo pela rua onde estou, portanto seguindo o percurso da rua prioritária. Logo, eu tenho que esperar ele passar para poder fazer a conversão.

Os exemplos dos exercícios aqui foram só com carros, mas tem vários exercícios com bicicletas e motos, e não se esqueça que as bicicletas têm os mesmos direitos que o carro, então se tem uma bicicleta vindo à sua direita você tem que dar a prioridade.

Categoria: Sinalização de tráfego (Verkehrszeichen)

Antes dos exemplos, vou fazer uma observação mega importante aqui. Dá uma olhada nessas plaquinhas:

Uma coisa que eu acho super confusa da sinalização aqui é que as plaquinhas com o círculo vermelho significam que aquilo que a placa indica está proibido. Pra gente é confuso pq proibido tem que necessariamente ser cruzado com a diagonal vermelha. Mas aqui não. Então, acima: a bicicleta no fundo azul significa que ali é uma rua (ciclovia, ciclofaixa) exclusiva pra bicicletas, onde nem pedestres nem carros nem motos podem entrar. Já a bicicleta com o círculo vermelho significa que naquela rua bicicletas não podem entrar. A mesma coisa pra plaquinhas com carros, motos, pedestres, etc, segue sempre essa lógica.

Já as placas triangulares com a borda vermelha significam “atenção”.

Vamos aos exemplos, então.

iTheorie

Pergunta à esquerda: Como você deve se comportar em uma estrada ao ver essa sinalização?

Resposta: > Ficar mais atento, aumentar a distância de segurança
                    > Em caso de congestionamento, ligar o pisca alerta

A placa indica que nesse local é comum ter congestionamento (na estrada). Então você deve aumentar a distância de segurança, ficar atento e em caso de congestionamento, ligar o pisca-alerta.

Pergunta à direita: Como você se comporta nessa área de perigo?

Resposta: > Mudar de farol alto para farol baixo caso aviste um animal silvestre
                    > Dirigir devagar, ficar atento a animais silvestres.
                    > Não desviar de animais se o tráfego no sentido contrário for colocado em risco

A placa indica que nos próximo 3km há boas chances de animais silvestres (veados, raposas, por exemplo) cruzarem a estrada. Caso você aviste um animal, você deve baixar o farol, pois o farol alto confunde o animal e faz com que ele fique parado em vez de correr. Você deve dirigir devagar, já que há o risco de colisão com animais. E você não deve desviar de um animal na estrada, caso o desvio coloque em risco carros vindo no sentido contrário ao seu.

O interessante das perguntas sobre sinalização é que a maioria não pergunta simplesmente “o que significa essa placa”, mas são mais específicas, querendo saber como você deve se comportar ao ver aquela placa.

Categoria: Proteção ao meio-ambiente (Umweltschutz)

Uma categoria interessante da prova é a de proteção ao meio ambiente. As perguntas envolvem consumo de combustível, poluição (inclusive sonora), e, inclusive, perguntas sobre como evitar sobrecarregar o meio-ambiente em que a resposta envolve “pegar transportes públicos em vez de carros” “ir de bicicleta em vez de carro” “dar caronas”, etc.

iTheorie

Pergunta à esquerda: Quais atitutes criam poluição sonora desnecessária?

Resposta: > “brincar” com o acelerador quando o carro está desengatado
                    > dirigir com escapamento com defeito

Pergunta à direita: Como você pode economizar combustível?

Resposta: > Retirando os suportes do capô quando eles não estão sendo utilizados (suporte pra bagagem ou bicicletas que ficam no capô)
                    > Dirigindo com atencipação

Categoria: Mecânica (Technik)

iTheorie

Pergunta à esquerda: A direção do seu carro está tendendo para um dos lados durante a viagem. Qual pode ser o motivo?

Resposta: > defeito no armortecedor
                    > rodas estão em desequilíbrio
                    > suspensão está com defeito

Pergunta à direita: Qual pode ser o motivo se o seu carro com motor a diesel não está partindo?

Resposta: > Ar no sistema de combustível
                    > Filtro de combustível bloqueado

Categoria: Regras burocráticas (Betriebsvorschriften)

iTheorie

Pergunta à esquerda: Como você sabe que deve levar seu carro para a revisão?

Resposta: > Pela data na etiqueta de inspeção
                    > Pela data no documento do carro

Pergunta à direita: Após um rebaixamento, é necessário levar o carro para uma avaliação. Quando ela deve ocorrer?

Resposta: > diretamente após a modificação (no caso, o rebaixamento)

OK CHEGA! Enfim, acho que deu pra dar uma idéia do tipo de pergunta que aparece na prova. Quer dizer: se prepara bem antes de marcar a prova que não é fácil!

É isso por hora!

A parte 3 – Prova Prática – você poder ler aqui!

Obs: um leitor recomendou o seguinte site para estudar pra prova: https://www.fuehrerschein-bestehen.de/ , onde tem testes em todas as línguas da UE. Obrigada pela dica, Newton!


(Publicado em 27 de Junho de 2016)

Dirigindo na Alemanha 1 – Validação da CNH

Nesse post, vou tentar detalhar os passos necessários para validar a habilitação brasileira na Alemanha. Nessa parte 1 vou descrever os documentos e passos necessários para começar o processo, e nas partes 2 e 3 falarei respectivamente sobre o exame teórico e o prático.

Começando pelo básico: como turista você pode dirigir de boas na Alemanha com sua CNH brasileira. A princípio nem precisa de nenhuma tradução, embora seja sempre mais seguro ter. Aliás carteira internacional: esquece isso, gente. “Carteira de motorista internacional” não é nada além de uma tradução, só. É uma coisa que só serve pra turista, e só pra facilitar caso o policial que te parar nunca tenha visto uma CNH brasileira. Se você está vindo morar aqui nem perca tempo fazendo uma “carteira de motorista internacional” porque não vai te ajudar em nada.

Se você estiver morando na Alemanha, você pode dirigir com a sua CNH brasileira por até 6 meses aqui (que é o tempo que você poderia ficar como turista). Depois desse tempo para continuar dirigindo você vai precisar trocar sua CNH pela habilitação alemã, que em alemão se chama Führerschein. O processo de validação da habilitação estrangeira aqui se chama “ausländischen Führerschein umschreiben“.

de_licence_2013_front

A carteira de motorista alemã é um cartão com essa cara aqui.

Infelizmente essa troca não é tão simples nem rápida. Prepare-se para o que eu vou dizer: você vai ter que praticamente fazer tudo de novo, e vai demorar vários meses. Praticamente porque você não precisa fazer nem o curso teórico nem o prático. Mas precisa fazer as duas provas, e elas são beeem mais difíceis que no Brasil. De maneira que eu aconselho, fortemente, a fazer tantas aulas práticas quanto o instrutor da sua autoescola julgar necessário. Dá uma lida no post sobre as provas teórica e prática pra ter uma noção melhor.

Espere gastar entre 6 meses e 1 ano de tempo e 500 e 1000 euros de dinheiro para tirar sua habilitação aqui!

Eu vou explicar direitinho os preços de cada item, e onde que eles podem ser diferentes dos que eu paguei.

Outra observação que eu acho bom fazer já no começo: você talvez tenha lido em outros sites – inclusive no site da embaixada brasileira na Alemanha – que pra validar sua carta aqui você tem que fazer isso antes de completar 3 anos morando na Alemanha. Isso não confere!!! Não sei se é uma informação antiga que mudou ou porque diz isso no site da embaixada, mas eu li todas as informações disponíveis no site do Fahrerlaubnisbehörde (o “Detran” daqui) sobre validar CNHs estrangeiras e não diz uma palavra sobre tempo máximo. E, para não restar dúvidas, eu dei entrada no processo na Fahrerlaubnisbehörde quando já estava morando na Alemanha há quase 4 anos e não foi problema nenhum. E uma amiga falou que conhece alguém que fez quando já morava aqui há 12 anos. Então essa informação do máximo de 3 anos não confere, esquece.

Ok, agora vamos para o passo a passo para dar entrada no processo de validação da sua CNH. Vou explicar cada passo/documento necessário, como obtê-lo, preço, tempo de demora e nome em alemão. Os preços em azul são fixos/tabelados, e os em verde são variáveis de acordo com o lugar onde você for.

Passo 1: Tradução da sua CNH para o alemão • 48€ •  2 semanas • Führerschein-Übersetzung
Esse é o primeiro passo porque é o papel que vai demorar mais, talvez. A tradução da CNH  você pode fazer com algum tradutor juramentado ou, o que é provavelmente mais fácil, fazer na ADAC. A ADAC é tipo uma seguradora de carro… não é exatamente uma seguradora, aqui chama “Automobilclub“, ou clube de automóvel, basicamente eles têm vários serviços relacionados a carros, incluindo seguros, e sei lá o que mais. E um desses serviços é tradução de habilitações estrangeiras. Você pode ir na “loja” deles da sua cidade, entrega lá sua habilitação e eles traduzem e te devolvem. Foi beeeem simples, mais do que ficar procurando algum tradutor juramentado. O preço varia um pouco de estado para estado. Aqui na Saxônia eu paguei 48€. E o tempo de demora também varia um pouco, porque na verdade as traduções são feitas todas na sede deles em Colônia. Então eles têm que mandar sua CNH pra lá e eles traduzem e mandam de volta. Então se você estiver já em Colônia, certamente é bem mais rápido. Pra mim demorou duas semanas, ao final das quais eu fui lá buscar um papel carimbado com as informações da minha CNH traduzidas para o alemão, além da classificação equivalente aqui (as habilitações aqui como no Brasil têm diferentes classes de acordo com o tipo de veículo que ela te dá o direito de dirigir. B é a classe para carros normais).

Passo 2: Curso de Primeiros Socorros • 35€ • 1 dia de curso • Unterweisung in lebensrettenden Sofortmaßnahmen am Unfallort ou Erste Hilfe Ausbildung
Parece complicado, mas é bem simples. Aqui para dirigir é obrigatório ter um curso de primeiros socorros. Esses cursos são muito fáceis de achar, a Cruz Vermelha (Rote Kreuz) daqui oferece esses cursos quase todo dia (inclusive aos domingos). Eu me inscrevi numa quinta-feira e no sábado já fiz o curso, então é bem rapidinho resolver isso. E aqui tem uma diferença: para a habilitação referente à classe B (carros normais), você não precisa do curso “completo”, mas apenas da Unterweisung in lebensrettenden Sofortmaßnahmen am Unfallort, ou “instrução em medidas de resgate em caso de acidente”, que é basicamente uma versão mais simples do curso de primeiros socorros que você precisa para habilitação para caminhões e ônibus, por exemplo. Eu fiz o curso completo, mais por interesse, mesmo, já que é um conhecimento útil de se ter. E escrevi um post só sobre o curso, como funciona, o que aprende, e tal, aqui. Por essa versão completa do curso eu paguei, na Cruz Vermelha, 35€. Pelo que eu vi, o curso mais simples costuma custar por volta de 20€. Ah, uma última observação: o único problema que você pode ter aqui é se você não fala alemão. Pode até ser que você encontre o curso em inglês em algumas cidades maiores, mas se não é só em alemão…

Passo 3: Exame de vista • 6,43€ • 10 minutinhos • Sehtest für Führerschein
Uma coisa legal aqui na Alemanha é que se você quiser fazer um teste de vista pra ver se seu grau mudou, ou se você precisa de óculos, você não precisa marcar consulta num oftalmologista, você pode fazer o teste direto na ótica. Eles oferecem o exame de vista de graça, pra te encorajar a já fazer seu óculos lá com eles. Estou falando isso apenas para avisar que NÃO É ESSE EXAME DE VISTA QUE VOCÊ PRECISA PRA HABILITAÇÃO! O Exame de vista que você precisa pra habilitação é um ainda bem mais simples e muito mais rápido. Mas custa 6,43€. É um preço fixo definido por lei, então vai ser esse preço em qualquer lugar que você for. E o exame é assim: você olha num daqueles instrumentos de oftalmologista que parece um microscópio, e lá tem uma série de bolinhas com uma aberturazinha em algum dos lados. Você tem que ir dizendo de que lado está a abertura na bolinha. Primeiro com um olho, depois com o outro olho, depois com os dois, fim. É uma coisa de 10 minutos, mesmo. E aí eles te dão um papel dizendo se você passou ou não no exame. Se você usa óculos você faz o exame de óculos. É só ir em qualquer ótica e pedir pra fazer o exame, e eles fazem ali na hora. Suponho que dê pra fazer no oftalmologista, também, mas de uma maneira ou de outra você vai pagar os 6,43 e marcar consulta certamente dá bem mais trabalho.

Passo 4: Se inscrever numa autoescola • 40€-70€ • Digamos 1 ou 2 dias pra vc perguntar os preços e escolher a escola • Fahrschule Grundgebühr
Esse é o item mais irritante da história. Embora você não precise fazer o curso teórico nem as aulas práticas, mas apenas os dois exames, você vai ter que se inscrever em uma autoescola. Isso porque não dá pra você como pessoa física se registrar pras provas. Só a autoescola pode fazer isso. Isso significa que você tem um monte de custos extras totalmente idiotas: o preço da inscrição na auto-escola, e depois na hora de se registrar nas provas vc vai pagar uma vez para a DEKRA (o “Detran”), e uma vez pra auto-escola quase o mesmo valor. É um valor fixo tabelado, é assim em todas as auto-escolas e sempre o mesmo valor. Enfim. O valor que vai variar é o preço da inscrição na autoescola. Eu perguntei em três auto-escolas por aqui, duas me ofereceram a inscrição por 70€ e uma por 40€, então me inscrevi – claro – na mais barata. O melhor que você tem a fazer é descobrir onde tem auto-escolas (Fahrschule) nas proximidades e ir lá pessoalmente perguntar, porque no site se eles informarem o valor da inscrição, vai ser o valor total, que você pagaria se fosse fazer também as aulas e curso teórico, que é por volta de uns 150€ (só a inscrição, sem contar o próprio valor do curso e das aulas). Mas quando você for lá e explicar que o que vc precisa é só que eles te inscrevam nas duas provas, eles vão dar um desconto no valor da inscrição. Eles vão te dizer que a prova aqui é bem difícil e aconselhar fazer algumas aulas práticas, mesmo sem precisar oficialmente, antes de marcar a prova. ACREDITE E FAÇA. As aulas costumam custar por volta de 30€ por uma hora-aula (45min), pelo menos aqui em Dresden, e sempre são aulas duplas (portanto, 60€). Aliás, imagino também que a inscrição numa autoescola em cidades maiores talvez seja mais cara.

Passo 7: Tirar uma foto 3×4  • 7,10€ • 10 minutinhos • Biometrisches Lichtbild
Você pode até tentar tirar uma você mesmo e imprimir, como eu às vezes faço com fotos 3×4, mas precisa ser biométrica. Isso significa que precisa seguir umas regrinhas lá pra foto poder servir pros programas de reconhecimento de rosto: não pode ter sombra no seu rosto, tem que estar totalmente reto, não pode sorrir, coisas assim. É mais fácil, pra você ter certeza que a foto vai servir, tirar numa loja de fotografia qualquer, mas é meio caro, mesmo. Eu paguei 7,10€, talvez dê pra achar por menos, certamente dá pra pagar mais. O tamanho que você precisa na verdade é 35mm por 45mm, e os cantos não podem ser arredondados. Mas se você for tirar a foto numa loja, eles te perguntam pra que documento que é e já sabem qual o formato que tem que ser praquele determinado documento, no caso a habilitação.

Passo 6: Ir na Faherlaubnisbehörde entregar todos os documentos e dar entrada no processo • 42,60€ • 1 hora (aqui em Dresden) • Fahrerlaubnisbehörde / Führerscheinstelle / Dekra

Primeiro deixa eu explicar esses três nomes. Fahrerlaubnisbehörde significa “autoridade para a autorização de direção”, Führerscheinstelle significa “escritório da habilitação”. E DEKRA (Deutscher Kraftfahrzeug-Überwachungs-Verein) é, se não me engano, a organização que faz e aplica os exames teórico e prático para a habilitação. Quando você quiser as informações sobre o que você precisa levar pra validar sua carta, onde você precisa ir, os horários de atendimento, telefone, etc, procure no google por “Fahrerlaubnisbehörde + o nome da cidade em que você está”. Aqui, por exemplo, é o site da Fahrerlaubnisbehörde de Dresden onde tem essas informações.
O segundo ponto importante da história: descobre se na sua cidade você precisa marcar um horário na Fahrerlaubnisbehörde, ou se você pode ir lá em qualquer horário dentro das opções de horários de atendimento. Aqui em Dresden é só chegar lá segundas-feiras das 9h ao meio dia, terças e quintas das 9h às 13h ou das 14h às 18h, ou sextas das 8h ao meio dia. Às quartas e fins de semana eles estão fechados. Chegando lá você pega uma senha (num computador que vai ter setecentas e trinta e cinco mil, novecentas e quarenta e sete opções de serviços, entre as quais você tem que descobrir onde está “ausländischer Führerschein” e  “ausländischer Führerschein umschreiben” ou coisa similar, pra clicar e receber sua senha. Vai demorar uns muitos minutos pra você achar o botão certo, boa sorte.), senta bonitinho numa cadeira e espera ser chamado pra entregar seus documentos. Uma amiga minha que fez a carta dela em Berlim, porém, me falou que por lá você tem que primeiro ligar para marcar um horário (e pagar por isso) para então poder ir lá no horário marcado entregar os tais documentos, certamente porque o número de pessoas lá é tão grande que se não tiver isso de marcar horário vira Poupatempo da Sé (na época que não dava pra marcar horário). Então antes de mais nada descobre se precisa marcar horário (olha no site, liga lá, e tal). Se, como aqui, não precisar, vai ser bem rapidinho. Se precisar, pode ser que o próximo horário disponível seja só daqui a x semanas. Aí é, paciência.
E os documentos que você precisará ter em mãos são os seguintes:

I. Sua carta de motorista brasileira, DENTRO DA DATA DE VALIDADE! Isso é bem importante, não pode estar fora da validade!
II. A tradução da sua CNH, que já discutimos lá em cima
III. Seu passaporte. Se você tiver nacionalidade européia, leva os dois passaportes.
IV. Seu comprovante de registro de endereço na Alemanha (o papel que você recebe quando você se inscreve na cidade que você mora, o meu chama “Anmelde-Bestätigung
V. O comprovante de que você fez o curso de primeiros socorros discutido lá em cima
VI. O comprovante com o resultado do seu exame de vista discutido lá em cima
VII. A foto biométrica (só uma, mesmo)
VIII. O contrato da sua auto-escola (na verdade só o nome já é suficiente, a princípio, mas leva o contrato por via das dúvidas que eles podem pedir pra ter certeza que vc já se inscreveu)
IX. Algum comprovante de que você morou pelo menos 6 meses no Brasil – Esse item aqui pra mim é meio misterioso: Não tava falando nada disso no site, mas quando eu cheguei lá pra entregar os documentos eles me falaram que precisava provar que eu morei pelo menos 6 meses no Brasil, embora eu seja de lá, tenha nascido lá, etc… achei bem besta. O comprovante podia ser, por exemplo, um histórico escolar de uma escola no Brasil (tradução juramentada). Eu acabei levando o histórico da universidade, que eu já tinha a tradução juramentada há um tempo de quando me inscrevi no mestrado aqui. O que eu não sei é se todo mundo precisa desse documento ou se é só pra quem tem dupla-nacionalidade. Eu aaaaaacho que se você é “só” brasileiro, o documento que vc tem de registro de endereço na Alemanha tb já tem essa informação de que você morava no Brasil antes, mas não sei como é. Eu tenho cidadania portuguesa tb, então acho que por isso que precisava provar que eu morei no Brasil. Sei lá, achei meio estranho, e certamente irritante ter perdido a viagem e voltar outro dia, mas por sorte eu já tinha tradução do histórico, então foi tranquilo. Se você já tiver uma tradução de algum documento qualquer que prove que você morou no Brasil, leva. Se você não tem e quer saber se precisa mesmo, sei lá, liga lá no Fahrerlaubnisbehörde e pergunta, é sempre a melhor opção.

São esses. Aí você entrega esses documentos lá, eles fazem uma cópia de tudo, te dão uns papéis diversos pra assinar, e, importante, te dão a opção de escolher em qual língua você quer fazer o exame teórico! Você pode escolher entre várias línguas, inclusive português. Eu não escolhi português porque li por aí em outros blogs que a prova em português é, na verdade, português de Portugal… E como com vocabulário específico às vezes têm umas diferenças grandes e palavras que você não tem nem idéia do que possam ser, achei mais seguro fazer o exame em inglês, que é pra mim uma opção totalmente segura. Você pode, óbvio, fazer também em alemão. Eu considerei mas embora eu me comunique bem em alemão, ainda me falta muito vocabulário e achei bem provável aparecer na prova umas palavras que eu não vou ter a menor idéia do que poderiam significar. Inglês foi a opção mais segura pra mim. No final acabou que eu estudei pra prova com material em alemão, então teria feito mais sentido fazer em alemão mesmo. Mas tudo bem.

Finalmente, você paga a taxa fixa de 42,60€ e eles dão entrada no processo.

Eles vão ficar com a sua habilitação brasileira e enviar para a polícia criminal, ou coisa assim, que vai verificar se o documento é verdadeiro e válido. Depois que eles fizerem isso (o tempo deve variar bastante de cidade para cidade, aqui a moça da Fahrerlaubnisbehörde me disse que deveria demorar entre 2 e 3 semanas, demorou QUATRO MESES.) você recebe uma carta dizendo que você já pode se inscrever para a prova teórica. E aí o resto virá nos posts parte 2 e 3.

Passo 7 (opcional): Comprar o material para estudar pra prova teórica  • 55€ • Só ir em qualquer auto-escola e comprar  • Lernmaterial für die theoretische Prüfung
Bom, a princípio você não é obrigado a comprar o material pra estudar, mas eu diria que é bem necessário uma vez que a prova teórica não é tão ridícula quanto a do Detran… O kit com o material inclui um livro (mó grosso, não é um livretinho tipo o do CFC, não!) e um DVD. Curiosamente, embora você possa fazer a prova em mil línguas, as auto-escolas só vendem o livro em alemão… Estou olhando online e parece que dá pra pedir online, mas é bem mais caro… quando eu descobrir com mais detalhes, atualizo aqui.

Bom, espero que esse post tenha ajudado a listar tudo o que é necessário saber pra validar sua CNH aqui. Tentei escrever pensando no post que eu gostaria de ter lido quando estava tentando descobrir como fazia (as informações que encontrei foram bem incompletas e misturadas e no final acabei tendo que descobrir tudo sozinha em alemão mesmo)!

O total que você vai ter pago até esse momento da entrega de documentos é, mais ou menos, 240€ (já contando o material para a prova teórica).

As continuações deste post você pode ler aqui:
Parte 2 – Prova Teórica
Parte 3 –  Prova Prática


 

(Publicado em 16 de fevereiro de 2016)

Viajando pela Alemanha

Para continuar no tema estradas, achei que seria legal escrever um pouco sobre como as pessoas viajam de um lugar para outro na Alemanha.

Bom, basicamente, como em quase qualquer outro lugar, as opções são quatro: Carro, ônibus, trem e avião.

Vou deixar avião de lado que, convenhamos, comprar passagem de avião para ir de um lugar para outro num país um pouco maior que o estado de São Paulo é totalmente insustentável, não façam essas coisas.

IMG_0536

A opção provavelmente mais comum na Alemanha e na Europa, é, claro, ir de trem. Os trens aqui são super confortáveis, mesmo os mais baratos, e te levam para quase qualquer cidade que apareça no mapa. O serviço é, no geral, bem confiável. Às vezes quando neva demais os trens não andam, mas normalmente você não terá problemas. Os alemães te dirão que os trens aqui são super atrasados, nunca chegam no horário, sei lá o quê, etc e tal. Maior mentira. São super pontuais. Foram poucas as ocasiões que vi atrasos. Mas, pra quem adora chegar no horário, um atraso de 5 minutos a cada 20 viagens é tipo caos ferroviário, fujam para a Noruega!

As passagens de trem, no entanto, não são nenhuma pechincha. Viajando, digamos, de Berlim até Colônia, você vai pagar 70 euros, se comprar com antecedência. Se deixar para a última hora, 120 euros. Reservar com antecedência portanto é importante: até 3 dias antes da viagem, o preço é um. Menos de 3 dias, o preço praticamente dobra!

E é sempre um desafio encontrar a opção mais barata. Normalmente tem várias opções diferentes, trens regionais, intercity, eurocity, etcetc, cada um com preço e tempo de viagem diferentes. Aos fins de semana, passagens que valem o dia inteiro para grupos de até 5 pessoas te permitem passear num mesmo estado por um preço bem razoável. Mas as opções são infinitas e às vezes você se enrosca na maquininha da estação para achar a melhor oferta. Na dúvida, melhor perguntar.

IMG_1951

O site das ferrovias alemãs, onde você pode procurar as melhores conexões é o bahn.de .

Uma segunda opção é viajar de ônibus. Até pouquíssimo tempo atrás, não tinha nenhuma empresa fazendo conexões rodoviárias entre cidades alemãs, nem era permitido. Existia uma lei que proibia conexões rodoviárias de longa distância, com a intenção de manter o monopólio dessa viagens com a Deutsche Bahn, a empresa ferroviária, que é estatal. Não sei detalhes da história, mas recentemente essa lei mudou, e a partir do início de 2013 algumas empresas já começaram a oferecer viagens de ônibus. Os preços são melhores que os trens, então quem sabe a competição não faça com que os preços dos trens caiam também.

Finalmente, a outra opção é ir de carro. E agora a super supimpa surpresa… você não precisa ter um carro e nem mesmo alugar um!

Existe um site, por aqui, onde você pode combinar caronas. E é usado com muita freqüência, então você sempre acha ofertas de pessoas fazendo o mesmo percurso que você. Aqui as pessoas tem mais confiança, e claro, o país é mais seguro, então é super normal oferecer o espaço extra do seu carro pela internet ou viajar no carro de desconhecidos. E sai bem mais em conta que o trem.

Comparando com os preços que citei antes, de Berlim para Colônia as ofertas variam de 25 a 30 euros. Menos da metade do preço do trem comprado com antecedência. E para essas conexões mais importantes, entre cidades grandes, você pode procurar ofertas no dia anterior que sempre tem gente suficiente fazendo aquele percurso.

As ofertas costumam especificar a data e horário planejados para a saída da cidade de origem, o percurso pretendido (com mapinha e tudo), e detalhes sobre o carro (para você saber se é um carro apertado ou espaçoso) e sobre o motorista (se é fumante ou não, se está levando alguma coisa particular (um gato, digamos) ou também detalhes como “costumo dirigir rápido!” “Vamos com calma, preferimos segurança à pressa”.

Achando uma oferta que lhe seja conveniente, você liga para a pessoa, combina o local de saída (normalmente a estação central da cidade, ou algum ponto estratégico), e avisa a quantidade de bagagem que você tem pra levar. E pronto!

Os alemães, como qualquer grupo de pessoas em qualquer lugar do mundo, têm qualidades e defeitos. Uma qualidade fácil de apontar, inegável, e bem exemplar, é que no geral eles são super honestos. Então essas coisas combinadas pela internet com desconhecidos costuma funcionar super bem. Já viajei bastante assim e recomendo, é a opção mais rápida e mais barata. E já viajei com meninas de colegial cruzando o país sozinhas com motoristas completamente desconhecidos, então dá pra dizer que o país é seguro, mesmo. Mas, claro, sem falar alemão fica difícil combinar, tem que dar sorte da pessoa saber falar inglês. Em todo caso, o site onde você pode procurar e oferecer caronas é o mitfahrgelegenheit.de . Mirfahrgelegenheit significa opções de carona.

Uma particularidade das estradas, é que tem paradas só para banheiro. Assim, uma parada no meio da estrada só com banheiros, mais nada, nem restaurante, nem posto de gasolina, nem nada. Só banheiro. E pasmem: Cheirosinho e com papel!


(Publicado em 20 de Março de 2013)