casaco

Pequenas denúncias

Esse post de título um tanto enigmático me deu na telha de escrever na semana passada, ao comprar uma água. E é sobre pequenas coisas, pequenos detalhes, que te denunciam como estrangeiro na Alemanha. Não coisas grandes como erros gramaticais ou pronúncia da língua. Coisinhas pequenas, não necessariamente erradas, discretas, porém que nenhum alemão jamais faria ou expressaria dessa maneira.

Quem já viu o filme Bastardos Inglórios vai lembrar bem da cena em que o espião americano infiltrado entre os nazistas é descoberto ao pedir duas cervejas num bar, mostrando o dedo indicador e o do meio. Os alemães contam nos dedos começando com o dedão, então “dois”, na linguagem dedística alemã, seria levantar o dedão e o indicador. Se você, como a pessoa normal que é, levantar o dedo indicador e o do meio para indicar dois: ! Estrangeiro!

Então aqui vão outras coisinhas que poderiam resultar na sua execução imediata se você fosse um espião estrangeiro infiltrado entre os nazistas em 1940.

1. Volume de bebida
A história da água foi que eu pedi ontem uma garrafa de água no subway, e quando a pessoa do caixa me perguntou qual tamanho, eu distraidamente respondi “A pequena, de 500”. 500 mL, claro. Na Brasil a gente fala de tamanho das bebidas em mL. 300, 500, 700. Só a partir de 1L qua a gente passa pra litros. Mas aqui  na Alemanha é tudo sempre em Litros. 0,3, 0,5, 0,7. A resposta certa no caso da água teria sido “null komma fünf“, “zero vírgula cinco” (ou só “komma fünf“). Todo mundo entende se você fala em mL, claro, mas nenhum alemão jamais responderia àquela pergunta com “fünfhundert“. Jamé.

2. Emails
Duas pequenezas em emails eu descobri outro dia que eram diferentes. São pequenezas tão discretas que eu nunca teria notado. Mas provavelmente os alemães que receberam emails escritos por mim notaram. Quando você escreve um email (ou carta) em português, é algo assim:

“Caro Sr. Fulano de Tal,

Como conversamos por telefone, envio em anexo o documento xyz, etc.

Atenciosamente,
Eu Mesmo da Silva”

Se a gente seguisse a mesma regra que os alemães, essa mesma carta seria assim:

Caro Sr. Fulano de Tal,

como conversamos por telefone, envio em anexo o documento xyz, etc.

Atenciosamente
Eu Mesmo da Silva

Sacou a diferença? São duas. A mais importante e mais denunciativa é a primeira: aqui você sempre começa o email com letra minúscula (depois do “Caro fulano”, que aliás em alemão seria “Sehr geehrte(r) xyz). O motivo faz sentido: A frase começou com “Caro fulano, xxx”, não tem porquê colocar maiúscula depois da vírgula. Mas por algum motivo misterioso em português e em inglês se faz assim em emails e cartas. A segunda diferença não é tão determinante. Entre o “Atenciosamente” (em alemão você escreveria “Mit Freundlichen Grüßen“) e o seu nome, os alemães não costumam colocar vírgula. Mas não é uma regra tão definitiva: às vezes eles também colocam uma vírgula.

3. Futebol
Duas grandes pequenas diferenças existem entre nós e os alemães ao falar de futebol. A primeira é a contagem do tempo. No Brasil a gente conta em duas vezes de quarenta e cinco minutos. Então se alguém chega e te pergunta “E o jogo? Tá onde?”, você responderia algo como “30 minutos do segundo tempo”. Na Alemanha, a resposta seria “75 minutos”. O jogo é contado em 90 minutos, não duas vezes de 45. Então se você fala em algum minuto do 0 ao 45, você com certeza está se referindo ao primeiro tempo. A expressão “aos quarenta e cinco do segundo tempo” não faria sentido aqui.
Outra diferença (embora essa seja mais algo que denunciaria um alemão no Brasil que o contrário) é a contagem dos gols. No Brasil a gente sempre coloca quem tem mais gols primeiro. Por exemplo: “O jogo ficou sete a um pra Alemanha”. Na Alemanha você fala os gols do time da casa primeiro. “O jogo ficou um a sete.” é certamente algo que você nunca disse em português.

Talvez agora você esteja prestes a escrever um comentário perguntando a mesma coisa que eu perguntei pro marido alemão quando conversamos sobre esse assunto: como faz quando não tem time da casa? E se for, digamos, Marrocos x Japão jogando no Uruguai? A resposta foi: ¯\_(ツ)_/¯. Bom, tem sempre uma regra pra qual time é o time da casa mesmo nesses campeonatos internacionais, no sentido de qual time tem que trocar de roupa se os uniformes forem da mesma cor, né. Mas sei lá se tem toda essa preocupação em ser específico. Acho que colocar o número maior na frente e dizer quem ganhou (ou está ganhando) faz mais sentido e os alemães podiam pensar em adotar essa regra simples, ficadica.

4. Casaco
Dois compartamentos referentes a casacos te denunciariam imediatamente como estrangeiro (de país onde não faz frio) na Alemanha.

A primeira é andar por aí no frio com o casaco aberto. Algo que não faz nenhum sentido lógico: o casaco serve pra isolar seu corpo do frio, pra ele não perder calor. Não funciona se o casaco estiver aberto. Mas no Brasil, como quase não faz frio, a gente praticamente nem têm casacos que isolam, então efetivamente tanto faz se o casaco está aberto ou fechado. Daí a gente chega bobo no país frio durante o inverno e demora uns tempos pra descobrir que casaco de inverno só funciona quando fecha o zíper.

A outra coisa sobre casacos é que, como os interiores dos edifícios são aquecidos, as pessoas tiram o casaco ao entrar em qualquer lugar. É meio que a reação direta e automática a entrar num local: tirar o casaco. Só que no Brasil a gente usa o casaco o dia inteiro, dentro de casa e do escritório e do restaurante e de todos os lugares, já que costuma estar a mesma temperatura dentro e fora. Então a gente não tem esse costume de imediatamente tirar o casaco ao entrar num local, e às vezes fica lá distraído de boas no seu casaco. Os alemães acham isso meeeeega estranho, a ponto de chamar a atenção que alguém esteja usando casaco sem estar lá fora.

5. Meio Pãozinho
Digamos que eu te dê um pãozinho, um pãozinho normal, pão francês, e te peça pra cortar ao meio e me dar metade e comer a outra metade. Em que eixo do pãozinho você vai cortá-lo? Provavelmente você vai cortá-lo assim:

paozinho

Dê o pãozinho a um alemão e peça para ele cortá-lo ao meio para comer só metade e em 100% dos casos o pãozinho será cortado neste eixo:

paozinho

No Brasil, a gente só corta o pãozinho no lado maior quando a gente vai fazer um sanduíche, e comer as duas metades ao mesmo tempo, fechadas. Se for pra comer só metade e dar a outra metade pra outra pessoa ou devolver pro saquinho de pão, o pãozinho será cortado no eixo menor. Aqui, se um alemão concordar em dividir um pãozinho com você e você cortar o mesmo no lado menor pode ter certeza que o alemão vai te olhar como se você tivesse feito a coisa mais estranha e inesperada que ele já presenciou em sua vida!

Aliás já que estamos falando de pãozinho, uma dica pra você não cometer um erro que eu cometo regularmente, inclusive hoje mesmo na hora do almoço: Se você disser para um alemão te trazer uns pãezinhos da padaria, lembre-se de especificar que você quer pãezinhos brancos, aqui conhecidos como “Kleinbrötchen” (entre outros nomes possíveis). Se você quiser o pãozinho da imagem acima, tem que ser específico. Se você disser simplesmente “traz um pãozinho”, vai vir qualquer coisa menos pão branco. Se forem vários vai ser uma variação de pães diversos em que uns 10% a 20% serão pãezinhos brancos. Então se você quiser só pãezinhos brancos, seja específico. Se você for passar a noite na casa de alguém e a pessoa combinar um horário pra tomar café na manhã seguinte (sim, eles vão combinar um horário específico pra se “encontrar” pro café da manhã) e a pessoa te perguntar se você tem alguma preferência pro café, quantos pãezinhos você come, e tal: lembre-se de especificar que você só come pãezinhos brancos (se for o caso), se não é capaz de não ter um único pãozinho francês na seleção de 20 pãezinhos que seu anfitrião colocar na mesa do café no dia seguinte.

É isso! Daria pra escrever sobre mil outras coisinhas, mas deu pra dar uma ideia…


(Publicado em 22 de Agosto de 2017)

Sobre casacos de inverno

Recentemente escrevi dois posts sobre apetrechos de inverno – roupas e acessórios. Mas me parece que faltou falar algumas coisas sobre como usar casacos de inverno que talvez convenha mencionar.

Uma coisa muito interessante que eu aprendi na Alemanha é como guardar seu gorro, luvas e cachecóis ao pendurar o seu casaco em algum lugar. Os alemães guardam seus acessórios nas mangas dos casacões. Como esses casacos são bem fofões, você coloca o cachecol, luvas e gorro nas mangas e eles não caem. É muito prático quando você precisa deixar seu casaco num guarda-roupas digamos em um museu ou teatro. Lá você deixa seu casaco com algum funcionário que o pendurará em um cabide, e portanto guardar os acessórios nas mangas é bem conveniente.

Ok, tentei tirar uma foto de um cachecol dentro de um casaco, mas ficou meio esquisito. Enfim, deu pra sacar, né?

Ok, tentei tirar uma foto de um cachecol dentro de um casaco, mas ficou meio esquisito. Enfim, deu pra sacar, né?

Aliás uma outra coisa sobre casacos de inverno, é que em toooodos os lugares tem cabides, mancebos, guarda-roupas ou guarda-volumes para você deixar o seu casaco.

Em restaurantes, normalmente perto da porta tem alguns cabides ou mancebos onde você pode deixar tranquilamente o seu casaco. Mas também é comum colocar o casaco na cadeira. Todas as salas de aula ou auditórios tem também cabides ao lado da porta. Em teatros, óperas, concertos, tem sempre um guarda-roupas (com funcionários) para deixar o casaco. Em museus, é normal ter tanto guarda-roupa quanto guarda-volume (armarinhos) para deixar casacos e bolsas. Nas casas alemãs, as portas de entrada abrem sempre para um hall onde tem cabides ou armários para casacos, sapatos e acessórios de inverno. Ainda estou por encontrar uma casa alemã cuja porta de entrada abra direto pra sala, acho que realmente não tem porque de fato por aqui seria bem inconveniente.

IMG_9533 IMG_9534

E sendo assim, é quase obrigatório deixar seu casaco na entrada, mesmo que não esteja tão frio e você só esteja usando uma jaqueta fininha. Mas o fato é que casacos e jaquetas ninguém usa dentro de casa por aqui. O único lugar interno em que as pessoas não tiram o casaco são lojas e shoppings. Nesses lugares realmente não tem onde deixar o casaco, porque seria uma enorme confusão, claro. Em qualquer outro lugar fechado todo mundo sempre tira o casaco ao chegar, e os alemães vão achar muuuuuuuuuuito muuuuuuito esquisito se você continuar usando o seu. E vão comentar, meio rindo, meio achando ridículo “você não vai tirar seu casaco?”. Você será uma pessoa um tanto exótica por aqui se esquecer de tirar seu casaco na entrada.

E outra prática que pode imediatamente logo de cara e bem de longe te identificar como estrangeiro de país onde não faz frio é andar pela rua com o casaco aberto. Claro, se nem tiver frio e você estiver só com uma jaquetinha fininha tudo bem. Mas no inverno, ou quando estiver frio, se você andar com o casaco aberto todo mundo vai achar beeeem estranho. E pode ter certeza que você jamais verá um alemão andando no frio sem fechar o zíper do casaco. E faz todo sentido – uma das características mais importantes dos casacos de inverno é que eles são resistentes ao vento. Quer dizer que mesmo que estiver o maior vento, não entra ar frio dentro do seu casaco. E lógico que isso não funciona se você não fechar o zíper!

Acho que isso é tudo o que havia a ser dito sobre casacos de inverno. No mais, depois que você se acostuma com esses detalhes, fica muito fácil reconhecer turistas no inverno pela maneira com que eles se vestem! Mas, morando aqui, logo você aprende as manhas de Alemanha! (cofcofcofonomedesseblogémuitosagazeuseicofcofcof)


(Publicado em 27 de Dezembro de 2014)

Apetrechos de inverno 1: roupas

Esse post já estou planejando desde o inverno passado, mas como no inverno passado quase não nevou e fez pouco frio, acabei não me animando pra escrever. Mas agora vai. Vou separar em duas partes já que é bastante coisa pra abordar. A primeira parte é sobre roupas de inverno. A segunda é sobre acessórios de inverno.

Uma coisa que brasileiros ou outros estrangeiros de países menos frios sempre se perguntam ao chegar por aqui é: do que eu preciso para sobreviver ao inverno?

Os acessórios e roupas de inverno por aqui são variados, numerosos, e bem bem diferentes do que no Brasil. Então a primeira dica (e isso você provavelmente já sabia antes) é: deixe para comprar vestimenta de inverno quando chegar, não traga do Brasil. Qualquer coisa que você pode trazer do Brasil, por mais quentinho que te pareça, provavelmente você vai usar só no outono, daqui, ou no comecinho do inverno. Quando chegarem os -10˚C, -20˚C, esquece.

Aos detalhes:

  • Casaco

Começando com o mais importante. Sempre que eu conheço alguém que acabou de chegar na Alemanha, a primeira pergunta que a pessoa me faz é “onde que eu compro um casaco de inverno?”.

O importante dessa pergunta não é tanto onde, mas quando. Se você for procurar um casaco de inverno em Julho, não vai achar nada. Já em Dezembro, toda e qualquer loja de roupas vai ter uma seção inteira dedicada aos mais diversos casacos de inverno.

As opções mais baratas para casacos de inverno ficam na faixa dos 80 a 100 euros. Isso é um preço bem normal para um casaco em lojas maiores como C&A e H&M. A qualidade não é assim ‘nooossa, que beleza de casaco’, mas ele vai resistir. Só que talvez depois de uns dois anos o zíper quebre, ou alguma coisinha descosture, um botão quebre, coisas assim. Mas também, sei lá se casacos mais caros também não vão ter esses problemas – afinal é uma peça de roupa que você usa realmente todos os dias por uns 3 meses…

Mas o que é importante de prestar atenção ao comprar um casaco para o inverno?

O essencial é que ele seja totalmente impermeável: à prova de água e à prova de vento. Não sei se dá pra ser à prova d’água e não ser à prova de vento, mas costuma dizer na etiqueta se é à prova dos dois. À prova de vento pode parecer estranho, mas juro, roupas podem realmente ser à prova de vento. Quer dizer que, fechadinha, pode estar um ventão gelado que vc mesmo assim não sente frio debaixo do casaco.

Grande parte dos casacos de inverno são revestidos com pena de ganso, e esses costumam ser os mais quentes. Mas no geral, o importante mesmo é resistir à água e ao vento, se você ficar seco e não sentir o vento debaixo do casaco já faz toda a diferença.

Outra coisa a ser considerada é a presença ou não de capuz. Com capuz é melhor para quando chove, e mesmo para quando está ventando muito. Mas eu comprei um recentemente sem capuz e também não é a coisa mais essencial de todas, às vezes vale mais a pena escolher um modelo que você goste sem capuz do que um que você não goste com capuz (e achar casaco de inverno bonito é um grande desafio). Mesmo sem capuz, praticamente qualquer casaco decente de inverno fecha pelo menos até o queixo. Assim:

IMG_9266

(bom, ok, no caso fecha até o nariz)

Quando tá bem frio, ventando, nevando, tudo, não vai ser mal ter um que deixe basicamente só seu olho de fora:

IMG_9221

E finalmente, você deve considerar também se prefere um comprido ou curto. Comprido é bom porque cobre as coxas, que nossa, como ficam geladas. Mas eu uso um curto mesmo, e tudo bem, não acho que seja o fator mais essencial do casaco.

(e os mais compridos eu acho bem mais feios… mas enfim).

  • Botas

Muito necessário no inverno são botas decentes. Duas são as características importantes de uma boa bota de inverno. Em primeiro lugar, é essencial que ela seja à prova d’água. Acho que no Brasil a gente não se preocupa muito com a resistência à água dos calçados (embora em dias de chuvas fortes de verão bem que fizesse sentido). Mas se você vai andar na neve, acredite, não tem como ir com um sapato que não impermeável. Seu pé vai congelar.

O segundo ponto é o atrito da bota. A sola tem que ser bem “irregular”, para aumentar o atrito e evitar que você escorregue no gelo:

IMG_9227

  • Calça e meia calça

A questão com calças é mais simples. Tem calça impermeável, do mesmo material dos casacos de inverno, até revestida com pena de ganso e tudo mais. Mas elas são mais para esportes de inverno mesmo, se você for esquiar por exemplo. Só para atividades normais do dia a dia, ninguém usa calças especiais.

O que significa que você vai ficar com frio na perna, é. Mas claro, meias-calças por baixo são bem bem bem necessárias. Tem várias meias-calças bem grossas, aqui, e tem um tipo que chama “thermo”, que é a ideal para o inverno. Elas são de um material diferente na parte interna que na parte externa. Não me pergunte detalhes de tecidos que eu não entendo, mas o fato é que essas são mais quentinhas e confortáveis. É totalmente normal para homens, também, usarem essas meias-calças por baixo das calças no inverno.

No post seguinte, falo sobre as diferentes opções para os acessórios de inverno (luvas, cachecóis, gorros…).

Caso não tenha lido ainda, aproveite o inverno e a proximidade com o Natal para ler os posts sobre Dia de São Nicolaus, Mercados de Natal e Adventos e Calendários!


(Publicado em 6 de Dezembro de 2014)