pãezinhos

Pequenas denúncias

Esse post de título um tanto enigmático me deu na telha de escrever na semana passada, ao comprar uma água. E é sobre pequenas coisas, pequenos detalhes, que te denunciam como estrangeiro na Alemanha. Não coisas grandes como erros gramaticais ou pronúncia da língua. Coisinhas pequenas, não necessariamente erradas, discretas, porém que nenhum alemão jamais faria ou expressaria dessa maneira.

Quem já viu o filme Bastardos Inglórios vai lembrar bem da cena em que o espião americano infiltrado entre os nazistas é descoberto ao pedir duas cervejas num bar, mostrando o dedo indicador e o do meio. Os alemães contam nos dedos começando com o dedão, então “dois”, na linguagem dedística alemã, seria levantar o dedão e o indicador. Se você, como a pessoa normal que é, levantar o dedo indicador e o do meio para indicar dois: ! Estrangeiro!

Então aqui vão outras coisinhas que poderiam resultar na sua execução imediata se você fosse um espião estrangeiro infiltrado entre os nazistas em 1940.

1. Volume de bebida
A história da água foi que eu pedi ontem uma garrafa de água no subway, e quando a pessoa do caixa me perguntou qual tamanho, eu distraidamente respondi “A pequena, de 500”. 500 mL, claro. Na Brasil a gente fala de tamanho das bebidas em mL. 300, 500, 700. Só a partir de 1L qua a gente passa pra litros. Mas aqui  na Alemanha é tudo sempre em Litros. 0,3, 0,5, 0,7. A resposta certa no caso da água teria sido “null komma fünf“, “zero vírgula cinco” (ou só “komma fünf“). Todo mundo entende se você fala em mL, claro, mas nenhum alemão jamais responderia àquela pergunta com “fünfhundert“. Jamé.

2. Emails
Duas pequenezas em emails eu descobri outro dia que eram diferentes. São pequenezas tão discretas que eu nunca teria notado. Mas provavelmente os alemães que receberam emails escritos por mim notaram. Quando você escreve um email (ou carta) em português, é algo assim:

“Caro Sr. Fulano de Tal,

Como conversamos por telefone, envio em anexo o documento xyz, etc.

Atenciosamente,
Eu Mesmo da Silva”

Se a gente seguisse a mesma regra que os alemães, essa mesma carta seria assim:

Caro Sr. Fulano de Tal,

como conversamos por telefone, envio em anexo o documento xyz, etc.

Atenciosamente
Eu Mesmo da Silva

Sacou a diferença? São duas. A mais importante e mais denunciativa é a primeira: aqui você sempre começa o email com letra minúscula (depois do “Caro fulano”, que aliás em alemão seria “Sehr geehrte(r) xyz). O motivo faz sentido: A frase começou com “Caro fulano, xxx”, não tem porquê colocar maiúscula depois da vírgula. Mas por algum motivo misterioso em português e em inglês se faz assim em emails e cartas. A segunda diferença não é tão determinante. Entre o “Atenciosamente” (em alemão você escreveria “Mit Freundlichen Grüßen“) e o seu nome, os alemães não costumam colocar vírgula. Mas não é uma regra tão definitiva: às vezes eles também colocam uma vírgula.

3. Futebol
Duas grandes pequenas diferenças existem entre nós e os alemães ao falar de futebol. A primeira é a contagem do tempo. No Brasil a gente conta em duas vezes de quarenta e cinco minutos. Então se alguém chega e te pergunta “E o jogo? Tá onde?”, você responderia algo como “30 minutos do segundo tempo”. Na Alemanha, a resposta seria “75 minutos”. O jogo é contado em 90 minutos, não duas vezes de 45. Então se você fala em algum minuto do 0 ao 45, você com certeza está se referindo ao primeiro tempo. A expressão “aos quarenta e cinco do segundo tempo” não faria sentido aqui.
Outra diferença (embora essa seja mais algo que denunciaria um alemão no Brasil que o contrário) é a contagem dos gols. No Brasil a gente sempre coloca quem tem mais gols primeiro. Por exemplo: “O jogo ficou sete a um pra Alemanha”. Na Alemanha você fala os gols do time da casa primeiro. “O jogo ficou um a sete.” é certamente algo que você nunca disse em português.

Talvez agora você esteja prestes a escrever um comentário perguntando a mesma coisa que eu perguntei pro marido alemão quando conversamos sobre esse assunto: como faz quando não tem time da casa? E se for, digamos, Marrocos x Japão jogando no Uruguai? A resposta foi: ¯\_(ツ)_/¯. Bom, tem sempre uma regra pra qual time é o time da casa mesmo nesses campeonatos internacionais, no sentido de qual time tem que trocar de roupa se os uniformes forem da mesma cor, né. Mas sei lá se tem toda essa preocupação em ser específico. Acho que colocar o número maior na frente e dizer quem ganhou (ou está ganhando) faz mais sentido e os alemães podiam pensar em adotar essa regra simples, ficadica.

4. Casaco
Dois compartamentos referentes a casacos te denunciariam imediatamente como estrangeiro (de país onde não faz frio) na Alemanha.

A primeira é andar por aí no frio com o casaco aberto. Algo que não faz nenhum sentido lógico: o casaco serve pra isolar seu corpo do frio, pra ele não perder calor. Não funciona se o casaco estiver aberto. Mas no Brasil, como quase não faz frio, a gente praticamente nem têm casacos que isolam, então efetivamente tanto faz se o casaco está aberto ou fechado. Daí a gente chega bobo no país frio durante o inverno e demora uns tempos pra descobrir que casaco de inverno só funciona quando fecha o zíper.

A outra coisa sobre casacos é que, como os interiores dos edifícios são aquecidos, as pessoas tiram o casaco ao entrar em qualquer lugar. É meio que a reação direta e automática a entrar num local: tirar o casaco. Só que no Brasil a gente usa o casaco o dia inteiro, dentro de casa e do escritório e do restaurante e de todos os lugares, já que costuma estar a mesma temperatura dentro e fora. Então a gente não tem esse costume de imediatamente tirar o casaco ao entrar num local, e às vezes fica lá distraído de boas no seu casaco. Os alemães acham isso meeeeega estranho, a ponto de chamar a atenção que alguém esteja usando casaco sem estar lá fora.

5. Meio Pãozinho
Digamos que eu te dê um pãozinho, um pãozinho normal, pão francês, e te peça pra cortar ao meio e me dar metade e comer a outra metade. Em que eixo do pãozinho você vai cortá-lo? Provavelmente você vai cortá-lo assim:

paozinho

Dê o pãozinho a um alemão e peça para ele cortá-lo ao meio para comer só metade e em 100% dos casos o pãozinho será cortado neste eixo:

paozinho

No Brasil, a gente só corta o pãozinho no lado maior quando a gente vai fazer um sanduíche, e comer as duas metades ao mesmo tempo, fechadas. Se for pra comer só metade e dar a outra metade pra outra pessoa ou devolver pro saquinho de pão, o pãozinho será cortado no eixo menor. Aqui, se um alemão concordar em dividir um pãozinho com você e você cortar o mesmo no lado menor pode ter certeza que o alemão vai te olhar como se você tivesse feito a coisa mais estranha e inesperada que ele já presenciou em sua vida!

Aliás já que estamos falando de pãozinho, uma dica pra você não cometer um erro que eu cometo regularmente, inclusive hoje mesmo na hora do almoço: Se você disser para um alemão te trazer uns pãezinhos da padaria, lembre-se de especificar que você quer pãezinhos brancos, aqui conhecidos como “Kleinbrötchen” (entre outros nomes possíveis). Se você quiser o pãozinho da imagem acima, tem que ser específico. Se você disser simplesmente “traz um pãozinho”, vai vir qualquer coisa menos pão branco. Se forem vários vai ser uma variação de pães diversos em que uns 10% a 20% serão pãezinhos brancos. Então se você quiser só pãezinhos brancos, seja específico. Se você for passar a noite na casa de alguém e a pessoa combinar um horário pra tomar café na manhã seguinte (sim, eles vão combinar um horário específico pra se “encontrar” pro café da manhã) e a pessoa te perguntar se você tem alguma preferência pro café, quantos pãezinhos você come, e tal: lembre-se de especificar que você só come pãezinhos brancos (se for o caso), se não é capaz de não ter um único pãozinho francês na seleção de 20 pãezinhos que seu anfitrião colocar na mesa do café no dia seguinte.

É isso! Daria pra escrever sobre mil outras coisinhas, mas deu pra dar uma ideia…


(Publicado em 22 de Agosto de 2017)

Pãezinhos

Em um antigo post sobre comidas alemãs eu falei um pouco sobre o café-da-manhã típico daqui, que inclui pãezinhos de todos os tipos. Resolvi então escrever um post só sobre os variados pãezinhos.

Se você for daqueles que não consegue começar o dia sem antes comer um delicioso pão francês, não se preocupe. Por aqui eles também são comuns. Aliás, são inclusive o tipo default de pãozinho, aquele que você sempre encontra nas padarias, embora não sejam necessariamente os mais comprados. Se você ficar na casa de um alemão, talvez ele não pense em comprar os pãezinhos franceses que você tanto gosta. Mas se você mesmo for à padaria, certamente os encontrará. Só que não chama pão francês, claro. Eu costumo encontrar pelo nome de Klein Brötchen – pãozinho pequeno – mas se você disser só Brötchen (pãozinho) ou Normales Brötchen (pãozinho normal), todo mundo vai entender que você está falando do pão francês. Aliás, com os nomes é meio complicado porque com freqüência o mesmo tipo de pãozinho tem nomes diferentes em diferentes padarias, e especialmente em diferentes partes da Alemanha.

Mas claro que eu não vim escrever um post sobre pão francês, mas sobre os outros variados tipos. Então lá vai:

IMG_0202

Começando pelos pães brancos, temos o Doppelbrötchen.

Doppelbrötchen

Doppelbrötchen

Aqui no leste esse tipo é bem comum. Eu não entendo muito o objetivo do Doppelbrötchen. É tipo um pãozinho francês normal grudado em outro. Na hora de assar eles colocam dois a dois do ladinho de maneira que eles ficam grudados. Mas o porquê grudar dois pãezinhos é uma coisa que eu ainda não descobri. Essa versão da foto é bem grande, aliás, normalmente eles são um pouco menores.

Também branco é o Kaiserbrötchen, esse daqui:

Kaiserbrötchen

Kaiserbrötchen

Também não muito diferente do pão francês exceto pelo formato redondo.

Parecido com o Kaiserbrötchen é o Laugenbrötchen:

Laugenbrötchen

Laugenbrötchen

Lauge significa água com sal, que é basicamente como esse pãozinho é feito. É a mesma massa do Kaiserbrötchen, só que antes de assar eles molham a pãozinho em água com sal. Então, ao assar, ele fica assim escurinho e mais salgado que um pãozinho normal. Meio como um Pretzel (que aliás também merece um post porque não tem nada a ver com os pretzels que as vezes vende no Brasil, e aliás, nem chama Pretzel, mas Bretzel, com B).

Agora começa os que tem 10 nomes possíveis diferentes…

Esse aqui é às vezes chamado de Kartoffelbrötchen, ou pãozinho de batata

Kartoffelbrötchen

Kartoffelbrötchen

Mas ele não é feito de batata. O nome vai ver é porque ele parece uma batata? Mas ele não parece uma batata. Sei lá. Tem desse branco (com outro nome) e mais escuro como o da foto. A diferença é, claro, o branco é feito com farinha de trigo enquanto o escuro com outros cereais, mas a diferença deles para os pães normal é que eles incluem um processo sei lá qual que envolve umas bactérias X. Puxa, acho que eu não sou a pessoa mais indicada pra escrever esse post dos pães.

O próximo é o Kurbiskernbrötchen:

Kürbiskernbrötchen

Kürbiskernbrötchen

Kürbis é abóbora, Kern é semente, então, como o nome e a foto indicam, esse é o pãozinho com sementes de abóbora. A massa, como de todos os outros pãezinhos exceto os brancos básicos, é de uma mistura de cereais além de trigo, então é sempre um pãozinho mais escuro por dentro. Esse tipo com as sementes de abóbora é bem comum.

A questão também com os nomes é que os alemães são bem criativos com pãezinhos, eles inventam mil misturas de sementes e cereais e formatos possíveis para fazer seus diferentes pãezinhos. Então fica difícil saber o nome de todos eles porque basicamente eles nomeiam de acordo com o que tem no pãozinho, né. Esse aqui eu vi pelo nome de Dinkelbrötchen:

IMG_0197

Dinkelbrötchen

Tipo um pãozinho francês com gergilim, uma farinha por cima, e a massa é não só de trigo mas de espelta (pergunta pro Google).

Esse outro também com gergilim por cima chama-se Körnerdreieck, ou triângulo de cereais.

IMG_0198

Körnerdreieck

E aqui mais dois que eu não tenho idéia de como chamam. Esse primeiro, que eu vou carinhosamente batizar de Brötchen X, tem grãos ralados por cima.

IMG_0200

E esse daqui, o muito famoso Brötchen Y, me parece um Bagel com gergilim e sementes de papoula (outro ingrediente bem comum em padarias):

IMG_0201

Um favorito das crianças (e meu) é o Schokobrötchen, que pode vir em vários formatos diferentes, mas é sempre um pão fofo branco (não salgado e não crocante) com pedacinhos de chocolate:

Schokobrötchen

Schokobrötchen

Nham. Tem também o Rosinenbrötchen, que é como o Schokobrötchen só que com uvas passas ao invés de pedaços de chocolate. Mas esse eu não comprei pra fotografar, porque, cá entre nós, quem iria querer comer um pãozinho com pedaços de uva passa, quando se pode comer um com pedaços de chocolate?

Aqui são só alguns pequenos exemplos do que eu achei numa única padaria num único dia, pra dar uma idéia. Mas, realmente, a variedade de pãezinhos diferentes por aqui tende ao infinito.

A única coisa ruim dos pãezinhos daqui, é que é muito raro você comprar pãezinhos recém-saídos do forno, quentinhos e tal. Nossa, só de escrever essa frase já me deu água na boca. Mas realmente, é raríssimo eles virem quentinhos porque por aqui está ficando cada vez menos comum que a padaria onde você compra os pães asse os mesmos. Normalmente eles são feitos em padarias industriais grandonas, em enormes quantidades, e distribuídos pelas padarias da cidade de manhãzinha. Então quando você compra seu pãozinho, ele saiu do forno, foi separado, colocado num caminhão, distribuído na sua padaria e só então vendido. =/ Mé. Mas eles não são menos gostosos por isso, não, só não vêm quentinhos.

E uma coisa que é importante de mencionar, se falamos de pãozinho, é que aqui só se come pão em tábua de madeira, como nas fotos. Nunca, jamais, em prato. Se você estiver na casa do seu amigo alemão e ele pedir pra você colocar a mesa enquanto ele faz o café, e você colocar pratos ao invés das tábuas, pode ter certeza que seu amigo vai te olhar como se você fosse um alien. Jamais passou pela cabeça dos alemães comer pão em um prato. Vai entender.


(Publicado em 31 de Janeiro de 2015)